Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

CORRUPÇÃO

Audiência de revisão das acusações contra Keiko Fujimori suspensa até 20 de outubro

Por: AFP

Publicado em: 29/09/2021 18:32

 (Foto: ERNESTO BENAVIDES / AFP)
Foto: ERNESTO BENAVIDES / AFP
Um juiz peruano suspendeu nesta quarta-feira (29) a audiência para revisar as acusações contra a ex-candidata presidencial Keiko Fujimori até o dia 20 de outubro, fase anterior de seu julgamento sobre o caso de corrupção envolvendo a Odebrecht, que afetou também quatro ex-presidentes do país.

O juiz Víctor Zúñiga iniciou a audiência por volta das 9h45 (horário local), mas após pouco mais de uma hora suspendeu até os dias 20 e 27 de outubro. 

A audiência realizada nesta quarta-feira, transmitida pela emissora de televisão do Poder Judiciário do Peru, por meio da rede social Facebook, faz parte da etapa conhecida como pré-julgamento. 

A acusação começou a esclarecer a situação processual de 14 possíveis "colaboradores efetivos" que depõem contra Fujimori e sua comitiva, incluindo seu marido, o americano Mark Vito Villanella.

A revisão das acusações contra a herdeira política e filha mais velha do ex-presidente Alberto Fujimori (1990-2000) e 40 outros réus teve início em 31 de agosto. 

A principal demandada no caso, Keiko Fujimori, de 47 anos, não é obrigada a assistir a esta fase de um dos primeiros julgamentos contra uma figura política de destaque no país pelo escândalo da construtora brasileira. 

Fujimori está em liberdade condicional e impedida de sair do Peru. Em março, o promotor José Domingo Pérez pediu 30 anos e 10 meses de prisão para a ex-candidata presidencial enquanto fazia campanha para as eleições nas quais foi derrotada por Pedro Castillo. 

Se Fujimori tivesse conquistado a presidência peruana em junho, o julgamento teria sido adiado pelos cinco anos de mandato.

A líder de direita já esteve em prisão preventiva duas vezes, cumprindo 16 meses no total, acusada de receber contribuições ilegais da Odebrecht e lavá-las com a ajuda de seus corréus nas campanhas de 2011 e 2016. Ela nega as acusações. 

A fase de revisão ou “controle de acusação” pode durar dias, semanas ou meses, antes do início do julgamento, prazos que alimentam críticas ao sistema judiciário por sua morosidade; a investigação do Ministério Público levou quase cinco anos. 

Ex-chefes da Odebrecht afirmaram ter distribuído ilegalmente milhões de dólares entre políticos peruanos, incluindo Fujimori e quatro ex-presidentes: Pedro Pablo Kuczynski (2018-2016), Ollanta Humala (2011-2016), Alan García (1985-1990 e 2006-2011), que se suicidou antes de ser preso em abril de 2019, e Alejandro Toledo (2001-2006).
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Uso de máscara em locais abertos deixa de ser obrigatório no Rio
Manhã na Clube: entrevistas com o vereador Romero Jatobá (PSB), dr. Sérgio Paulo e Jaqueline Araújo
CPI aprova relatório que pede indiciamento de Bolsonaro
Manhã na Clube: entrevistas com Raul Henry, Gustavo Frigieiri e Vânia Besse
Grupo Diario de Pernambuco