Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

ALTA

Rússia volta a bater recorde de casos, enquanto a variante Delta preocupa

Por: AFP

Publicado em: 04/07/2021 10:33

 (PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP)
PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP
A Rússia bateu, neste domingo (4), um novo recorde de contaminações por Covid-19 desde janeiro, enquanto a preocupação aumenta no mundo com a variante Delta, que pode levar a uma nova onda da pandemia.

A pandemia se acelerou esta semana em todas as regiões do mundo, exceto na América Latina. Na Ásia, restrições foram impostas na Indonésia, onde os hospitais estão à beira do colapso, e em Bangladesh.

A Covid-19 já matou pelo menos 3,974 milhões de pessoas desde seu aparecimento no final de 2019, de acordo com um balanço estabelecido neste domingo pela AFP.

A Rússia, que continua a ser duramente atingida por uma nova onda provocada pela variante Delta, anunciou neste domingo que identificou 25.142 novos casos nas últimas 24 horas, um recorde desde 2 de janeiro.

O país já havia registrado esta semana recordes de mortes pelo coronavírus por cinco dias consecutivos, com 697 óbitos anunciados no sábado. O número de mortos nas últimas 24 horas foi de 663 neste domingo.

O vizinho Cazaquistão anunciou hoje 3.003 novos casos em 24 horas, um recorde para o país da Ásia Central.

Diante da progressão da variante Delta, cresce o debate na Europa sobre a vacinação dos profissionais da saúde. Na Itália, trezentos deles entraram com ações judiciais para obter o levantamento da obrigação de o pessoal médico e sanitário ser vacinado contra a Covid-19, de acordo com a imprensa.

Na França, por outro lado, uma centena de médicos pediu ao governo que tornasse obrigatória a vacinação para os funcionários de hospitais e asilos "antes do início de setembro" para "evitar uma quarta onda".

Diante de uma campanha de vacinação que perde fôlego no país, o responsável pela campanha no governo francês, Alain Fischer, alertou que quem espera "está cometendo um erro".

"Enorme pressão" em Bangladesh

Na Ásia, a Indonésia impôs no sábado confinamento parcial na capital Jacarta, na ilha de Java e em Bali, em face de uma onda sem precedentes de infecções por Covid-19.

Mesquitas, restaurantes e shopping centers foram fechados.

Milhares de soldados e policiais estão nas ruas para fazer cumprir as novas medidas, em vigor até 20 de julho, e centenas de postos de controle foram montados.

O país registrou novo recorde de casos diários - 27.913 - no sábado, e seu sistema de saúde está à beira da asfixia.

Em Bangladesh, que desde quinta-feira impôs confinamento diante de um aumento "preocupante e perigoso" do número de casos, os hospitais não conseguem mais fazer frente ao ritmo de contágios na cidade de Khulna (sudoeste), que se tornou o epicentro da nova onda.

"Estamos enfrentando uma enorme pressão em termos de admissões", admitiu Niaz Muhammad, médico-chefe do governo para a região de Khulna.

Testemunhas descreveram a morte de parentes que não puderam receber oxigênio.

Nesta cidade perto do estado indiano de Bengala Ocidental, os cemitérios não conseguem lidar com o fluxo repentino de mortes em cidades próximas, como Satkhira.

Manifestações no Brasil

No Brasil, o segundo país com mais mortes depois dos Estados Unidos (520.000), dezenas de milhares de pessoas se manifestaram no sábado contra o presidente Jair Bolsonaro, que é alvo de uma investigação preliminar, por suspeita de não ter relatado uma tentativa de corrupção na compra de vacinas.

"Bolsonaro Genocida", "Isso não é negação, é corrupção" ou "Sim às vacinas", diziam os cartazes em um protesto em São Paulo.

Nos Estados Unidos, o país mais afetado tanto em termos de número de mortes quanto de casos (605.493 mortes para 33.713.912 casos registrados), Joe Biden está aproveitando o feriado nacional, apesar das preocupações relacionadas à variante Delta, muito contagiosa.

O presidente americano convidou mil trabalhadores da saúde, funcionários expostos, soldados e seus familiares, para comemorar com ele na Casa Branca o Dia da Independência, num momento em que o país se tornou um modelo de recuperação, mesmo que a meta de uma primeira dose administrada a 70% da população adulta ainda não tenha sido atingida.

O pequeno estado americano de Vermont, na fronteira com o Canadá, tem a maior taxa de vacinação, agora com 82% dos maiores de 12 anos com pelo menos uma dose, muito à frente da média nacional de 64%.

Por Anna SMOLCHENKO

burx-slb/at/mr

© Agence France-Presse
TAGS: Casos | Alta | Rússia |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com coronel Luiz Meira (PTB), Regina Sales e Maria Dulce
Manhã na Clube: entrevistas com José Maria Eymael, Rodrigo Floro e Chico Kiko (PP)
Leão se afasta de parque onde vive solto e assusta moradores de cidade africana
Manhã na Clube: entrevistas com o prefeito João Campos (PSB) e o governador Paulo Câmara (PSB)
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco