Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

JAPÃO

Partido definirá sucessor do primeiro-ministro japonês em 14 de setembro

Por: AFP

Publicado em: 02/09/2020 07:28

 (Suga, de 71 anos e atual secretário-geral do governo. Foto: Charly TRIBALLEAU / AFP)
Suga, de 71 anos e atual secretário-geral do governo. Foto: Charly TRIBALLEAU / AFP
A eleição interna no Partido Liberal Democrata (PLD) para definir o sucessor do primeiro-ministro Shinzo Abe, que anunciou a renúncia ao cargo por motivos de saúde, acontecerá em 14 de setembro e seu braço direito, Yoshibide Suga, aparece como grande favorito.

A campanha interna começará em 8 de setembro e após a eleição no partido acontecerá uma votação no Parlamento, provavelmente em 16 de setembro, considerada uma mera formalidade, já que o PLD controla as duas Câmaras ao lado de seu aliado, o partido Komeito.

Suga, de 71 anos e atual secretário-geral do governo, anunciou nesta quarta-feira sua candidatura. A maioria do PLD já teria prometido apoio, o que faz dele o principal nome na disputa.

Na terça-feira, o PLD decidiu optar por uma votação reduzida e rápida, na qual apenas os deputados e líderes regionais do partido poderão participar.

Os outros dois candidatos já declarados para a sucessão de Abe, Shigeru Ishiba e Fumio Kishida, ambos de 63 anos, são prejudicados por este sistema de votação que exclui os militantes da base do partido.

O presidente do conselho geral do PLD, Shunichi Suzuki, afirmou que o partido optou por este sistema porque a situação é urgente, devido aos problemas de saúde de Abe.

O primeiro-ministro, 65 anos, no cargo desde o fim de 2012, anunciou na semana passada a intenção de renunciar devido ao agravamento de uma doença intestinal crônica, colite ulcerosa. Este problema de saúde o obrigou a interromper de forma precipitada seu primeiro mandato como chefe de Governo em 2007.

Abe disse que permaneceria no cargo até a designação do sucessor.

Grandes desafios
Suga foi fundamental no retorno ao poder de Abe, em 2012.

Filho de um agricultor da região de Akita (norte), as origens humildes de Suga, que pagou pessoalmente por seus estudos, o afastam dos grandes nomes do PLD, todos integrantes de importantes famílias políticas.

Analistas e empresários esperam que ele continue a linha política de Abe.

Mas os desafios do futuro primeiro-ministro serão colossais e vão da gestão da pandemia de coronavírus à recessão econômica, passando pelas complicadas relações com a China e a Coreia do Sul, além dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que foram adiados e continuam com um nível de incerteza.

Ishiba e Kishida fizeram nos últimos dias um balanço crítico da política econômica de Abe, que eles consideram positiva para as grandes empresas e os mercados financeiros, mas que esqueceu as famílias de baixa renda e as zonas rurais.

Shigeru Ishiba, que foi ministro da Defensa entre 2007 e 2008, tem apoio entre a população, mas não entre os pesos pesados do partido, que contestam suas mudanças de opinião constantes e suas críticas a Abe. 

Fumio Kishida foi o chefe da diplomacia japonesa de 2012 a 2017, mas não tem a notoriedade nem o carisma que muitos consideram necessários, apesar de ter sido durante algum tempo apontado como o favorito de Abe para substituí-lo no cargo.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Brasil é vítima de desinformação sobre meio ambiente, diz Bolsonaro
Rhaldney Santos entrevista o empreendedor digital Harry Thorpe, criador da plataforma Miauu
Detran-PE realiza ações na Semana Nacional do Trânsito
De 1 a 5: Cuidados na saúde ocular das crianças
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco