Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

FENÔMENO

Ronaldo diz em carta: 'Começamos novo capítulo na história do Cruzeiro'

Publicado em: 19/12/2021 17:44

Emoção de Ronaldo em receber a camisa do Cruzeiro (
Foto: Paulo Filgueiras/EM/D. A Press)
Emoção de Ronaldo em receber a camisa do Cruzeiro ( Foto: Paulo Filgueiras/EM/D. A Press)
Depois de garantir a compra de 90% das ações da SAF do Cruzeiro por R$ 400 milhões, por meio da empresa Tara Sports, Ronaldo Fenômeno publicou, neste domingo (19), uma carta aberta no Instagram sobre seu retorno ao clube. Ele relembrou sua história na Raposa, mostrou gratidão e garantiu: "Começamos agora um novo capítulo na história do clube. Volto porque acredito na volta do Cruzeiro!".

Na publicação, Ronaldo postou uma imagem do fotógrafo Paulo Filgueiras, do jornal Estado de Minas, quando recebeu a camisa celeste pela primeira vez, em 1993. A imagem indica a emoção do então garoto de 16 anos que receberia a primeira oportunidade no futebol profissional.

"Em 25 de maio de 1993, entrei em campo pela primeira vez como profissional. Lembro como se fosse ontem da minha emoção ao receber a camisa do Cruzeiro. Eu só tinha 16 anos. O pouco tempo que fiquei no time se justifica por uma razão: quase 30 anos depois, digo sem nenhuma dúvida que o Cruzeiro me deu a maior oportunidade da minha vida. Foi com a camisa azul celeste que tive a certeza que os meus sonhos de garoto eram possíveis", postou o ex-atacante.

Ronaldo jogou no Cruzeiro entre o segundo semestre de 1993 e o primeiro de 1994. No pouco tempo de clube, virou unanimidade entre os torcedores. Marcou 56 gols em 58 jogos (55 como titular), foi artilheiro da Supercopa dos Campeões da Libertadores aos 16 anos, artilheiro do Campeonato Mineiro e convocado para a Copa do Mundo de 1994.

"Em 8 de agosto de 1994, a despedida do clube que abriu pra mim as portas do mundo; que me proporcionou sentir as primeiras grandes emoções no futebol; que me fez artilheiro, campeão, jogador da seleção; e que me preparou para tudo o que viria adiante", afirmou.

Ronaldo disse que sentiu a queda do Cruzeiro para a Série B em 2019. "Há dois anos, vi esse time centenário pelo qual tenho extrema gratidão ser rebaixado pela primeira vez; vi a tristeza tomar conta de uma das maiores torcidas do país. Doeu em mim".

O Fenômeo mostrou ânimo com este novo projeto. "Não tenho todas as respostas para as perguntas que me faço e, possivelmente, não terei para todas as perguntas que vocês me farão. O que eu sei é que aquele garoto que aprendeu no Cruzeiro que os seus sonhos eram possíveis me faz hoje acreditar que é possível tirar o clube de refém dessa crise", disse.

"Chegou a hora de voltar. É a minha vez de tentar abrir portas para o time. Não como herói. Não com super poderes para, sozinho, mudar a realidade. Mas com imensa responsabilidade. Com gestão inteligente e sustentável para um crescimento de médio e longo prazo. Com a lealdade de 9 milhões de apaixonados", acrescentou.

Leia a carta aberta completa

"Em 25 de maio de 1993, entrei em campo pela primeira vez como profissional. Lembro como se fosse ontem da minha emoção ao receber a camisa do Cruzeiro. Eu só tinha 16 anos.

 pouco tempo que fiquei no time se justifica por uma razão: quase 30 anos depois, digo sem nenhuma dúvida que o Cruzeiro me deu a maior oportunidade da minha vida. Foi com a camisa azul celeste que tive a certeza que os meus sonhos de garoto eram possíveis.

Em 8 de agosto de 1994, a despedida do clube que abriu pra mim as portas do mundo; que me proporcionou sentir as primeiras grandes emoções no futebol; que me fez artilheiro, campeão, jogador da seleção; e que me preparou para tudo o que viria adiante.

Há dois anos, vi esse time centenário pelo qual tenho extrema gratidão ser rebaixado pela primeira vez; vi a tristeza tomar conta de uma das maiores torcidas do país. Doeu em mim.

E sinto ainda mais por saber que é sintoma do estado em que se encontra o futebol brasileiro, parado no tempo. O que seria daquele moleque de 16 anos sem a oportunidade de conquistar o mundo com a bola nos pés?

Não tenho todas as respostas para as perguntas que me faço e, possivelmente, não terei para todas as perguntas que vocês me farão. O que eu sei é que aquele garoto que aprendeu no Cruzeiro que os seus sonhos eram possíveis me faz hoje acreditar que é possível tirar o clube de refém dessa crise.

Chegou a hora de voltar. É a minha vez de tentar abrir portas para o time. Não como herói. Não com super poderes para, sozinho, mudar a realidade. Mas com imensa responsabilidade. Com gestão inteligente e sustentável para um crescimento de médio e longo prazo. Com a lealdade de 9 milhões de apaixonados.

Começamos agora um novo capítulo na história do clube. Volto porque acredito na volta do Cruzeiro! Volto pra ser parte da mudança do futebol brasileiro."
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Segundo a ONU, 2021 foi um dos sete anos mais quentes da História
Manhã na Clube: entrevistas com Leonardo Péricles e Dr. Heitor Albanez
Fortuna dos 10 mais ricos dobrou com a Covid
Supervacinada: Rafaela inaugura a fase da imunização de crianças contra a Covid no Recife
Grupo Diario de Pernambuco