Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

ITENS BÁSICOS

Preço da cesta básica fica R$ 10 mais caro na RMR em agosto

Publicado em: 15/09/2021 16:13

Custo dos itens básicos representou impacto percentual de 50% sobre o salário mínimo. (Foto: Procon/Divulgação)
Custo dos itens básicos representou impacto percentual de 50% sobre o salário mínimo. (Foto: Procon/Divulgação)

O valor da cesta básica na Região Metropolitana do Recife (RMR) aumentou R$ 10,24 entre julho e agosto, o que representa 1,8% em termos percentuais, passando de R$ 545,54 para R$ 555,78. O custo com os itens básicos tem pesado no bolso do consumidor pernambucano, já que representa um impacto percentual de 50,53% sobre o salário mínimo. A pesquisa foi realizada pelo Procon Pernambuco.

Foram avaliados 27 itens da cesta, entre alimentação, limpeza doméstica e higiene pessoal, e 12 produtos tiveram aumento no preço. Em julho, o incremento no valor havia sido registrado em 19 itens. Entre os produtos que apresentaram redução no preço, destaque para o açúcar cristal, que passou de R$ 3,19 em julho para R$ 2,28 agosto, um recuo de 28,53%. Já a charque de segunda teve queda de 5,66%, saindo de R$ 31,79 para R$ 29,99. Já o quilo do frango inteiro foi de R$ 7,99, para R$ 6,99, uma diferença de 12,52%. O pacote de cinco unidades do sabão em barra foi de R$ 5,49 para R$ 4,69, retração de 14,57%, na parte da limpeza doméstica.

Já entre os itens que tiveram os maiores aumentos, destaque para o quilo da batata inglesa, que teve o preço aumentado em 31,75%. O produto custava R$ 1,89 em julho e passou para R$ 2,49 em agosto. Outro produto que teve o preço elevado foi a salsicha avulsa, com incremento de 8,54%. O quilo era de R$ 8,20 e foi para R$ 8,90. A carne bovina de segunda foi o único item que manteve o mesmo valor de julho em agosto, com o quilo custando R$ 19,80.

A pesquisa serve como ferramenta de pesquisa para que os pernambucanos possam ter uma base de comparação na hora de comprar os itens essenciais, já na consulta é possível verificar a diferença de preço de um estabelecimento para o outro. Um exemplo é a diferença de preço de 254,44% no quilo da cebola, que varia de R$ 1,69 e R$ 5,99. Já o pacote com quatro unidades do papel higiênico em um estabelecimento pode ser encontrado por R$ 1,48 e em outro por R$ 6,99, uma diferença de 372,30%.

"Orientamos para que todos os pernambucanos utilizem essa ferramenta de pesquisa ao realizar suas compras, pois existem locais que o produto pode ser encontrado com uma diferença no valor de mais de 200%. É preciso analisar para que não prejudique as finanças dos consumidores nesse momento que já está tão difícil", enfatiza Pedro Eurico, secretário de Justiça e Direitos Humanos.

O Procon Pernambuco também realiza a pesquisa da cesta básica nos municípios de Goiana, Gravatá e Vitória de Santo Antão. O Procon-PE esteve em 24 estabelecimentos da RMR, dez em Goiana, Gravatá e Vitória. O menor valor do grupo de itens essenciais foi encontrado em Vitória, onde a cesta básica custou R$ 512,59. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco