Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

PESQUISA

Pernambucanos têm menor intenção de comemorar a Páscoa

Publicado em: 24/03/2021 19:06

O ovo de Páscoa artesanal/caseiro foi o produto mais apontado para consumo na Páscoa, com 21,8%. (Foto: Pixabay/Reprodução)
O ovo de Páscoa artesanal/caseiro foi o produto mais apontado para consumo na Páscoa, com 21,8%. (Foto: Pixabay/Reprodução)
 
Com as novas medidas restritivas impostas em Pernambuco para conter a disseminação do coronavírus, além da restrição orçamentária, os pernambucanos não estão com tanta expectativa de comemorar a Páscoa neste ano. Segundo pesquisa realizada pela Fecomércio-PE, em parceria com o Sebrae-PE, de 1.132 consumidores entrevistados no estado, apenas 46,9% pretendem comemorar a festividade. O percentual é menor do que o registrado em outras datas, como fim de ano, Black Friday e Dias das Crianças, que a intenção foi acima dos 50%. O movimento de retração promete impactar negativamente o desempenho do comércio pernambucano no primeiro trimestre do ano. 

Além das medidas restritivas neste período da Páscoa, também reflete na intenção de comemorar a data as restrições no orçamento dos pernambucanos. “A baixa intenção é puxada pelo fim do auxílio emergencial, que injetou mais de R$ 16 bilhões de reais na economia pernambucana no ano passado, com a piora no desemprego, a escalada inflacionária, a lentidão do retorno do projeto de proteção de emprego e renda e com o retorno das restrições mais duras para a contenção do número de infecção da atual pandemia”, ressalta Rafael Ramos, economista da Fecomércio-PE. 

No recorte por sexo, as mulheres têm maiores pretensões de comemorar, com 49% contra 45% do público masculino. Além disso, a pesquisa aponta que, por grupos de idade, a maioria da população de 60 anos ou mais é quem considera uma maior intenção de comemorar, o que deve ser explicado, segundo Rafael Ramos, porque uma parte dessa parcela da população já foi vacinada e se sente mais segura e pela Páscoa ser uma festa mais tradicional de religiosa, com apelo para faixas de idades mais avançadas. 

Também demonstraram maior intenção de comemorar as famílias com rendimento superior a 10 salários mínimos, com 67% desse grupo sinalizando que vão comemorar. Entre as famílias com renda entre um e dois salários mínimos, 46% pretendem comemorar. Ainda assim, a comemoração em casa é a mais apontada entre os entrevistados, com 74%. Em seguida, aparecem os presentes para amigos e parentes e as compras pessoais como formas de comemoração para 12,9% e 9,8%, respectivamente. 

O ovo de Páscoa artesanal/caseiro foi o produto mais apontado para consumo na Páscoa, com 21,8%, seguido de caixa de chocolate (21,3%), barra de chocolate industrializada (18,3%) e ovos de Páscoa industrializados. O consumo de vinho e das outras bebidas alcóolicas durante a festividade alcançou 7,9%. O valor médio de gasto será de R$ 50 até R$ 100. Para os que não pretendem comemorar, a adesão ao isolamento é motivo mais apontado, com 28,8%, seguido de falta de dinheiro e elevado preço dos produtos.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 14/04
Vacinas da Johnson & Johnson sob investigação por risco de trombose
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 13/04
De 1 a 5: dicas de decoração para repaginar a casa de forma simples e sem gastar muito
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco