Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de DP+Ciência

PANDEMIA

Covid-19: estudo aponta que 60% dos brasileiros não higienizam o nariz

Publicado em: 22/06/2021 15:29

 (Apesar de o nariz proteger contra infecções virais, pesquisa recente mostra que brasileiros não higienizam o nariz corretamente. Foto: Reprodução/Pixabay)
Apesar de o nariz proteger contra infecções virais, pesquisa recente mostra que brasileiros não higienizam o nariz corretamente. Foto: Reprodução/Pixabay
Em meio à pandemia de Covid-19, é muito importante que as pessoas saibam quais órgãos podem ser considerados como “portas de entrada” para o vírus causador da doença, a fim de se proteger e, também, evitar a contaminação. E o nariz é um desses órgãos, e não somente no que tange a atual crise sanitária, já que esse órgão também é responsável pela infecção por outros vírus e bactérias.

Porém, pesquisa recente da Toluna Insights, em parceria com a Xlear, aponta que os brasileiros não têm cuidado tão bem assim dessa região. 

É que, segundo os dados coletados pelo estudo, grande parte da população do país (96,5%) higieniza bem as mãos, lavando-as mais de uma vez ao dia. No entanto, quando se fala em nariz, a realidade é outra, já que apenas 40% dos entrevistados – cerca de 600 pessoas – higienizam o nariz mais de uma vez no decorrer do dia.

Além disso, outros índices revelados pela pesquisa preocupam, uma vez que, além de a maioria dos brasileiros não higienizar o nariz, muitos o fazem de forma errada. 

Nesse quesito, a maioria (46,33%) limpa o nariz com água e sabão, 38,5% utilizam lenço e menos de 30% lavam com spray específico para o nariz. Apesar de ser um número menor, 24,5% higienizam o órgão apenas com os próprios dedos e 22,83% com cotonete.  

Conforme Gustavo Ferrer, professor de medicina, consultor do estudo e fundador da clínica de doença pulmonar Cleveland Clinic Florida, o nariz é o local do corpo mais suscetível à infecção de vírus e bactérias, já que é por ele que os organismos atacam e entram no corpo.

“O vírus se instala inicialmente no nariz e vias aéreas superiores. É por isso que as pessoas sentem coriza e dor de garganta quando o vírus ataca. Geralmente, o sistema imunológico ataca, mas, se isso não acontece, o vírus se espalha para as vias aéreas inferiores.” 
 
"Use sprays que têm como base xilitol e solução salina para limpar o nariz. O xilitol reduz a fixação de vírus e bactérias ao nariz. Para aqueles com rinite, alergias e problemas de sinusite, considere o uso de spray nasal com clorfeniramina e xilitol que funciona rapidamente como descongestionante e bloqueia a entrada de vírus como a influenza A/B", diz Gustavo Ferrer, professor de medicina, consultor do estudo e fundador da clínica de doença pulmonar Cleveland Clinic Florida
 
“Então, traqueia, brônquios, onde ele pode causar inflamação, alvéolos e pulmões são atacados. Por isso, devemos sempre limpar as mãos, desinfectar o nariz regularmente e manter distância. As atitudes de higienização, incluindo do nariz, e certo distanciamento contribuíram para queda nos casos de outros vírus, como da gripe, e, portanto, devem ser mantidos."

Em meio à pandemia, se torna ainda mais relevante saber que a higienização do nariz pode ajudar a barrar a passagem do vírus das vias aéreas superiores para as inferiores e pulmão, o que entra num caso mais grave e mais difícil de tratar, explica.

Justamente por isso, Gustavo Ferrer destaca que, além de incorporados à rotina das pessoas, o hábito de higienizar mãos e nariz deve permanecer após o fim da pandemia para evitar contaminações de outros vírus futuros. “Isto está longe de terminar. Precisamos aprender a conviver com os vírus, como fazemos isso? Vacina, distanciamento social, máscara, higiene nasal e sprays eficazes”, pontua. 

O QUE FAZER? 
Haja vista a importância da higienização do nariz para evitar infecções por vírus e bactérias, o que, então, pode ser feito? Afinal, qual a forma correta de limpar as narinas? 

“Os dados mostram que existe um caminho para conscientização sobre higiene do nariz. Com a pandemia, as pessoas se tornaram mais cuidadosas com a limpeza constante das mãos e agora precisamos educar a população sobre a higiene do nariz e como esta é a mais importante de ser realizada, já que é o local do corpo de principal foco de infecção de vírus."

Por isso, ele afirma que esses dados devem ser usados por educadores, profissionais de saúde, legisladores, por todos, para ensinar as pessoas a se protegerem contra os vírus e compreenderem a importância de limpar o nariz constantemente. 

A dica de Gustavo Ferrer, então, é: “Use sprays que têm como base xilitol e solução salina para limpar o nariz. O xilitol reduz a fixação de vírus e bactérias ao nariz. Para aqueles com rinite, alergias e problemas de sinusite, considere o uso de spray nasal com clorfeniramina e xilitol que funciona rapidamente como descongestionante e bloqueia a entrada de vírus como a influenza A/B”. 

Ainda, segundo o médico, é possível que as pessoas baixem a guarda após a vacina, o que é comum em tantos outros casos semelhantes, esquecendo dos importantes hábitos de higiene criados durante a pandemia. Ele pontua que isso pode tornar as pessoas mais suscetíveis a serem infectadas com a própria Covid-19 ou outros vírus.

Por isso, Gustavo Ferrer afirma ser importante que a higienização correta de mãos e nariz seja levada como uma “herança” da pandemia. Ou seja, para sempre. 

O estudo foi feito por meio de questionamentos às pessoas sobre seus conhecimentos sobre higienização do nariz, hábitos de limpeza e conhecimento sobre a importância de limpar o nariz e de forma apropriada. O intuito, segundo o especialista, é educar a população sobre como a higiene do nariz pode ajudar a evitar contaminações de vírus, já que auxilia a frear a passagem do vírus do nariz para outras regiões. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Apesar dos protestos, começa a Olimpíada de Tóquio
Manhã na Clube: entrevista com o Presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros (PP)
Em busca por vestígios de vida em Marte
Manhã na Clube: entrevista com Carlos Mariz (Associação Brasileira de Energia Nuclear)
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco