Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

CASO DOM E BRUNO

Testemunhas viram Dom e Bruno serem perseguidos no dia do desaparecimento

Publicado em: 14/06/2022 21:51

 (Foto: CARL DE SOUZA / AFP)
Foto: CARL DE SOUZA / AFP
A Polícia Federal encaminhou, nesta terça-feira (14), ao Supremo Tribunal Federal (STF), um relatório referente às buscas pelo indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips, no Amazonas. No documento, ao qual o Correio teve acesso em primeira mão, testemunhas narram que o brasileiro já relatou ter sofrido ameaças na região e que a embarcação dos desaparecidos foi perseguida pelo principal suspeito, Amarildo da Costa de Oliveira, 41 anos, conhecido como "Pelado", que está preso desde o dia 7 de junho. 

“Em 11/06/2022, uma testemunha com identificação protegida prestou depoimento à Polícia Federal no interesse do inquérito policial instaurado no âmbito da Delegacia de Polícia Federal em Tabatinga. A testemunha relatou que ouviu BRUNO dizer que estava sendo ameaçado por pessoas que não aceitavam as atividades de combate às ilegalidades recorrentes contra indígenas da região”, diz o documento.

“Entre as ameaças recebidas por BRUNO, algumas delas foram proferidas por “PELADO”, indivíduo tempos atrás teria efetuado disparos de arma de fogo contra a base local da FUNAI e, recentemente, ameaçado os “vigilantes” da região ostentando uma arma de fogo do tipo espingarda”, descreve a PF em outro trecho.

O Pelado indicado no relatório trata-se do apelido de Amarildo da Costa Pereira. Ele é pescador e, até o momento, é considerado o principal suspeito no sumiço dos ativistas. A testemunha descreveu as roupas que Bruno e Dom vestiam no dia do desaparecimento e afirmou que dois homens em outro transporte perseguiram os desaparecidos.

“Cerca de dois minutos após a embarcação de Bruno ultrapassar a do depoente, uma voadeira de alumínio, da cor verde, com motor 60 hp, ultrapassou a embarcação do depoente que o depoente reconheceu essa segunda embarcação que ultrapassou, de cor verde, como sendo a embarcação do “PELADO” viu que na embarcação havia mais um homem sem saber declinar quem seria somente que estava de roupa escura e manga cumprida”, diz trecho.

Dom e Bruno foram vistos pela última vez em 5 de junho, ao passar pela comunidade do Amazonas de São Rafael. De lá, partiram numa embarcação para uma viagem de cerca de duas horas, mas não foram mais vistos.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Planta gigante, prima da vitória-régia, é descoberta em Londres
Manhã na Clube: entrevistas com a deputada estadual Teresa Leitão (PT) e Juliana César
Última Volta: GP da Grã Bretanha de F1 2022
Quem é Júlio Lancellotti, o padre antissistema que dá esperança aos pobres
Grupo Diario de Pernambuco