Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

JUSTIÇA

Nunes Marques mantém condenação de mulher que roubou 18 chocolates em 2013

Publicado em: 27/12/2021 18:42

 (Foto: Reprodução/Pixabay)
Foto: Reprodução/Pixabay
O Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a condenação da mulher que roubou 18 chocolates e 89 chicletes, em 2013 em Minas Gerais. Somados, os produtos valiam, à época, R$ 50. 

A decisão, que indeferiu o pedido de absolvição da ré, foi tomada pelo ministro Nunes Marques, no dia 6 de dezembro. O caso foi apresentado ao STF pela Defensoria Pública de Minas Gerais, que pedia a aplicação do princípio da insignificância ao caso. 

A mulher, por sua vez, foi condenada por furto qualificado pelo concurso de pessoas. Nestas situações, não é incomum que o STF libere presos por furto de valores considerados insignificantes. 

Para a justiça brasileira, o princípio da insignificância determina a não punição de crimes que provocam uma ofensa irrelevante ao bem jurídico.

No entanto, para Nunes Marques, a prática do delito de furto qualificado pode indicar uma reprovação no comportamento e anular a possibilidade de aplicar o princípio da insignificância. 

"O STF já firmou orientação no sentido da aplicabilidade do princípio da insignificância no sistema penal brasileiro desde que preenchidos certos requisitos, quais sejam, conduta minimamente ofensiva, ausência de periculosidade social da ação, reduzido grau de reprovabilidade do comportamento e lesão jurídica inexpressiva", disse o ministro em sua decisão.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevista com Carlos Veras (PT), deputado federal
China executa maiores exercícios militares em décadas
Papa recebeu como tapas os depoimentos de abusos no Canadá
Defesa de Brittney Griner alega falhas em provas apresentadas pela Rússia
Grupo Diario de Pernambuco