Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

CRISE POLÍTICA

Bloqueio em rodovias federais por bolsonaristas divide caminhoneiros

Publicado em: 08/09/2021 20:29

 (Foto: Reprodução/Redes sociais)
Foto: Reprodução/Redes sociais
O discurso contra integrantes do Judiciário entoado durante as manifestações desta terça-feira (7/9), data que celebra a Independência da nação brasileira, continua a reverberar após o Sete de Setembro. Caminhoneiros impedem o tráfego de veículos de cargas em trechos de rodovias federais desde o início da manhã desta quarta-feira (8).

Até o momento, filas quilométricas foram registradas na Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Paraná, Maranhão e Rio Grande do Sul. Apesar de reter caminhões, o bloqueio é pontual, ou seja, veículos de passeio estão autorizados a trafegar.

Nas imagens que circulam nas redes sociais, além de comemorar a paralisação dos veículos, caminhoneiros manifestam apoio às declarações antidemocráticas anunciadas pelo presidente Jair Bolsonaro durante o feriado.

Em um dos vídeos, um caminhoneiro afirma que a categoria não vai aceitar que o Brasil "seja comandado por 11 ministros" e acusa o Supremo Tribunal Federal (STF) de ser "uma milícia”.

"Não está passando caminhão vazio, só passa ônibus, carro pequeno e carga perecível", alerta outro manifestante bolsonarista.

Ao Correio, o Ministério da Infraestrutura informou que, nas últimas horas, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) desmontou 67 ocorrências de bloqueio do trânsito com concentração de populares e tentativas de bloqueio total ou parcial de rodovias.

“A PRF encontra-se em todos os locais identificados e trabalha pela garantia do livre fluxo com a tendência de fim das mobilizações até a 0h de 9/9”, diz em nota. Ainda segundo a pasta, vídeos e fotos que circulam na web não refletem necessariamente o estado atual da malha rodoviária.

Divisão
Procurado, o presidente do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), Plínio Nestor Dias, diz que os atos não têm relação com a categoria e nega apoio às pautas levantadas por Bolsonaro. Segundo ele, caminhoneiros autônomos participam dos bloqueios nas rodovias.

A entidade promoveu ainda uma ação, na 20.ª Vara Federal Cível do Distrito Federal, contra a União e o presidente Jair Bolsonaro por utilizar a categoria para obter apoio político nos atos antidemocráticos realizados no último feriado.

Antes disso, no último sábado (4), a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Caminhoneiro Autônomo e Celetista comunicou em nota que “repudia veementemente qualquer ação ou pretensão declarada que viole as garantias constitucionais do Estado Democrático de Direito e da coexistência de poderes institucionais independentes e harmônicos entre si".

Além disso, o manifesto assinado pelo deputado federal Nereu Crispim (PSL/RS) ainda diz que “não há espaço para omissão dos representantes de direitos da categoria dos caminhoneiros autônomos e celetistas que devem expressamente manifestar-se contra ato atentatório dos pilares da democracia".
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco