Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

COVID-19

OMS: variante de Manaus pode comprometer resposta imune, mas vacina é recomendada

Publicado em: 10/02/2021 17:50

 (Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio)
Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio
A recentemente descoberta variante do novo coronavírus que se originou em Manaus, apelidada de P.1, pode estar associada a uma dificuldade de desenvolvimento de anticorpos contra a Covid-19, como alerta o novo boletim epidemiológico da Organização Mundial de Saúde (OMS). A suspeita, que ainda carece de mais estudos para entender a correlação, não altera a recomendação de vacinação contra a doença, medida reforçada pela diretora da Opas, Carissa Etienne, durante coletiva desta quarta-feira (10).

"Com base nas evidências que temos agora sobre as variantes preocupantes, estamos confiantes de que nosso portfólio crescente de vacinas Covid-19 continua útil e nos guiará até o fim desta pandemia", disse Etienne. Ela ressaltou que no futuro, talvez será preciso adaptar as estratégias, mas disse que o mundo continuará contando com as vacinas. "O desafio agora permanece para garantir que essas vacinas sejam distribuídas de forma rápida e justa em nossa região, começando com aqueles que mais precisam delas", destacou.

Por meio do mecanismo multilateral Covax Facility, a intenção é fornecer doses de vacinas a pelo menos 20% da população de todos os países. Nas Américas, Etienne informou que a distribuição começa ainda em fevereiro. "Países da nossa região vão começar a receber entregas de vacinas até o fim deste mês".

A estratégia, no entanto, precisa ser combinada com uma série de medidas preventivas para limitar a propagação do vírus, como manter as medidas de distanciamento. Sobretudo diante do surgimento de novas variantes, que preocupam pelo potencial de transmissão e que, segundo Etienne, já atingem 20 países da região.

"As evidências que começam a sugerir é que algumas dessas variantes, como as detectadas pela primeira vez no Brasil e no Reino Unido, podem ser mais facilmente passadas de uma pessoa para outra, acelerando o aumento dos casos de Covid-19". Mesmo assim, segundo ela, "não há motivo para alarme, mas sim para atenção".

Em Manaus, segundo o último boletim epidemiológico da OMS, divulgado nesta terça-feira (9), a organização chama atenção para o rápido aumento da incidência da P.1 na capital amazonense. Em dezembro de 2020, 52% dos diagnósticos positivos envolviam a nova linhagem. O percentual saltou para 85% em janeiro deste ano. Diante das proporções e análises das amostras, o relatório da OMS aponta que a P.1 "podem potencialmente reduzir a neutralização de anticorpos", dificultando a resposta imune. Apesar da suspeita, ainda não é possível inferir se há mudança na transmissibilidade ou gravidade da doença.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Com 93% de taxa de ocupação de UTIs, Pernambuco decreta mais restrições
De 1 a 5: saiba qual é seu perfil profissional e como tirar o máximo proveito dele
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 01/03
Doença da urina preta: síndrome rara pode levar à UTI
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco