História Nos 170 anos de Joaquim Nabuco, Alepe recebe mostra de material inédito

Por: Diogo Cavalcante

Publicado em: 20/08/2019 06:30 Atualizado em:

Todo o acervo pessoal de Joaquim Nabuco agora está em terras pernambucanas - Foto: Bruna Costa/Esp. DP
Todo o acervo pessoal de Joaquim Nabuco agora está em terras pernambucanas - Foto: Bruna Costa/Esp. DP
No dia exato em que Joaquim Nabuco completaria 170 anos - segunda, 19 de agosto -, foi aberta na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) uma exposição que mostra o quanto que os pensamentos e visões do abolicionista continuam vivos na sociedade. A mostra Nabuco em Casa, instalada no térreo do anexo II do parlamento, conta com peças inéditas do acervo pessoal do escritor, doadas recentemente pela família. É possível ver cartas, fotos familiares e seu diário, com a última página escrita por ele antes de morrer.

Boa parte do material referente ao historiador já estava em Pernambuco desde 1974, quando seu filho, José Tomaz Nabuco, entregou o conteúdo para a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). Ainda assim, faltava uma parte mais pessoal dele, buscada no início deste ano no Rio de Janeiro. As 5,6 mil peças inéditas ainda estão sendo catalogadas para posterior digitalização, mas algumas foram selecionadas para irem para a mostra.

“Expomos alguns documentos recém-doados. É possível ver as cartas de Nabuco a Evelina, sua esposa, mensagens aos filhos, as memórias do dia da abolição da escravatura. Agora o acervo está completo”, destaca a coordenadora de documentação e pesquisa da Fundaj, Albertina Malta. Ela foi a responsável pela curadoria de conteúdo.

Cartas, fotos e o diário de Joaquim Nabuco ficam expostos até setembro na Alepe - Foto: Bruna Costa/Esp. DP
Cartas, fotos e o diário de Joaquim Nabuco ficam expostos até setembro na Alepe - Foto: Bruna Costa/Esp. DP

A mostra vai até dia 6 de setembro. Depois, seguirá para a Fundaj do Derby, na área central do Recife, onde ficará exposta na Galeria Vicente do Rego Monteiro. “É uma alegria inaugurar uma exposição sobre Joaquim Nabuco no dia em que ele faria aniversário. O material expõe a grande atualidade do pensamento dele, como parlamentar, abolicionista ou escritor”, reflete o presidente da fundação, Antônio Campos.

Horas antes da abertura, foi realizada no auditório da Alepe uma sessão solene para comemorar os 170 anos de Joaquim Nabuco. “Viemos falar de história, mas viemos falar também de presente e futuro”, acrescenta Campos. A homenagem foi uma iniciativa do presidente da casa legislativa, Eriberto Medeiros. 

Solenidade no auditório Sérgio Guerra marcou aniversário de Joaquim Nabuco - Foto: Bruna Costa/Esp. DP
Solenidade no auditório Sérgio Guerra marcou aniversário de Joaquim Nabuco - Foto: Bruna Costa/Esp. DP

Na cerimônia, além de Antônio Campos, estiveram presentes o ex-governador de Pernambuco, João Lyra Neto; o cônsul-geral dos Estados Unidos, John Barrett; a presidente da Fundação Gilberto Freyre, Sônia Freyre; o desembargador Demócrito de Souza Filho; o diretor financeiro do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Gilvan Batista; e Pedro Nabuco, bisneto do abolicionista.

“Fico muito feliz com o respeito que Pernambuco tem por meu bisavô. Só não é maior que a devoção dele a essa terra”, pontua Pedro, que acompanhou tanto a sessão solene quanto a abertura da exposição. “Eu conheço já parte do material, estava com a família lá no Rio de Janeiro. Até comentei com a Albertina que a mostra está muito bem feita, bem escrita, bem selecionada. Acho que é a mais bela e concisa que já vi”, comenta.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.