SAÚDE Teste do Bracinho torna-se obrigatório em Pernambuco

Publicado em: 11/06/2019 17:59 Atualizado em: 11/06/2019 18:58

Projeto foi elaborado pelo deputado Clodoaldo  Magalhães. Foto: Rodolfo Barbosa
Projeto foi elaborado pelo deputado Clodoaldo Magalhães. Foto: Rodolfo Barbosa
Teste do pezinho, da orelhinha.. agora, mais uma atitude preventiva em relação à saúde dos pequenos passa a vigorar em Pernambuco: o teste do bracinho.Passa a ser obrigatória, em hospitais, clínicas e demais unidades de saúde do estado, a aferição da pressão arterial durante as consultas pediátricas em crianças a partir dos três anos de idade. Além de identificar alterações nela, o teste tem como objetivo o rastreio, diagnóstico e a prevenção de doenças cardíacas e renais.

Já aprovada anteriormente pelas Comissões Permanentes (Constituição, Legislação e Justiça, Administração Pública e Saúde e  Assistência Social) e pelo plenário da Alepe, o Projeto de Lei Ordinária nº 103/2019, idealizado pelo Deputado Clodoaldo Magalhães (PSB), se tornou a Lei nº 16.586 após sanção do governador Paulo Câmara - publicada no Diario Oficial na data do última segunda (10) - e promulgação pelo presidente da Alepe. 

Em razão do aumento dos números de casos de hipertensão arterial no mundo, o deputado estadual Clodoaldo Magalhães (PSB), propôs o Projeto de Lei Ordinária (PLO).“O teste do bracinho é uma medida simples e faz com que você descubra as crianças que começam a ter aumento da pressão sanguínea. Com essa medida, se economiza muitos recursos públicos de saúde, evitando que essa pressão alta continue, silenciosamente, destruindo a saúde do cidadão, o que no futuro trará prejuízos enormes com os tratamentos das complicações para o paciente. É extremamente importante para garantir a saúde e o bem-estar de nossas crianças", justificou o parlamentar. De acordo com o projeto, quando a aferição da pressão arterial apontar possíveis alterações, a criança deverá ser encaminhada a um atendimento especializado para a realização de exames complementares. Caberá ao Poder Executivo regulamentar a Lei em todos os aspectos necessários para a sua efetiva aplicação.

Segundo a pediatra Roberta Sá, atuante no Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam) da Encruzilhada, a medida é importante porque permite criar uma triagem. "É a partir dela que poderemos direcionar a criança para um especialista, caso haja necessidade. A principio, um nefrologista visto que a maioria dos casos de hipertensão em crianças é devido a causas renais", explica. A médica explica que os valores de mensuração da pressão arterial de crianças difere dos adultos, na média, máxima em 120 e mínima em 80 milímetros de mercúrio, ou simplesmente 12 por 8. "No caso deles, isso depende do sexo e da idade. Existe uma tabela com percentil (medida utilizada para dividir uma amostra de valores) que varia entre 3 a 90", complementa, salientando a importância da medida. "Nos últimos tempos, tem aumentado muito a quantidade de crianças com doenças de adultos como hipertensão e diabetes tipo 2. Por isso, a validade da nova determinação", afirma. 

O Teste -

O teste do bracinho é um exame indolor, que detecta a hipertensão arterial em crianças por meio da aferição da pressão utilizando o chamado esfigmomanômetro, medidor da pressão arterial bastante conhecido que consiste em um sistema para compressão da artéria braquial. O procedimento deve ser realizado por médicos ou enfermeiros devidamente registrados em sua respectiva entidade de classe.

Dados fornecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que cerca de 23% da população apresenta hipertensão arterial sistêmica. Estima-se que 5% da população com idade inferior a 18 anos apresente hipertensão arterial, e ainda que a prevalência da doença na faixa dos três anos de idade varie de 2 a 13 %, daí a recomendação da prática de aferição da pressão arterial a partir dos três anos.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.