MEIO AMBIENTE CPRH combate construções irregulares em área de preservação de Suape

Publicado em: 14/05/2019 18:08 Atualizado em: 14/05/2019 18:11

Fiscalização foi realizada na Estação Ecológica de Bita e Utinga, na RMR. Foto: CPRH / Divulgação
Fiscalização foi realizada na Estação Ecológica de Bita e Utinga, na RMR. Foto: CPRH / Divulgação
Demolição de dois barracos ainda sem moradores, emissão de autos de infração para que outros barracos – já com moradores – sejam desocupados e demolidos, apreensão de ferramentas e materiais que eram utilizadas nas construções e erradicação de plantios ilegais, além de multas que totalizaram R$ 31 mil.Este foi o resultado de uma ação ambiental sobre o desmatamento de uma área – ainda não dimensionada – da região de Suape, para construções irregulares. A região, localizada entre os municípios de Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca, integra a Estação Ecológica Bita e Utinga e invasões que existiam anteriormente foram indenizadas por  Suape.

Durante a ação, os agentes ambientais também direcionaram para o combate à caça de animais silvestres, o que configura crime ambiental. Foram encontradas cinco armadilhas, sendo três para captura de teju e duas para tatu. Foram apreendidos, ainda, cinco pássaros silvestres, e encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), da CPRH, onde serão tratados e preparados para o retorno à natureza.    

A operação foi planejada pela Unidade de Gestão das Unidades de Conservação (UGUC), da CPRH, que convocou os outros órgãos para a ação. Bita e Utinga é uma Unidade de Conservação (UC) estadual da categoria Proteção Integral, onde, por lei, é admitido apenas o uso indireto dos seus recursos naturais. O monitoramento na região será reforçado para que novas tentativas não sejam implementadas. A construção de novas ocupações na área motivou a fiscalização, iniciada pela manhã e estendida por toda a tarde e tratada como um “Ultimato” em relação aos envolvidos nas ocupações irregulares, para que não insistam na atividade irregular.  A iniciativa reuniu equipes de Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma, Polícia Militar), Delegacia do Meio Ambiente (Depoma, Polícia Civil), administração de Suape, Celpe e das prefeituras de Ipojuca e do Cabo.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.