índice Segundo relatório de Parlamento, a inflação na Venezuela atingiu 815.194% em 12 meses no mês de maio

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 10/06/2019 22:46 Atualizado em:

A crise foi acentuada pela disputa de poder entre o presidente socialista Nicolás Maduro e o líder opositor Juan Guaidó. Foto: Arquivo/ AFP
 (Foto: Arquivo/ AFP
)
A crise foi acentuada pela disputa de poder entre o presidente socialista Nicolás Maduro e o líder opositor Juan Guaidó. Foto: Arquivo/ AFP
A inflação na Venezuela foi de 31,3% em maio passado, desacelerando em comparação com abril, enquanto o índice anual chegou a 815.194%, segundo relatório do Parlamento de maioria conservadora, apresentado nesta segunda-feira (10).

O custo de vida em abril tinha aumentado 44,7%, com o que o acumulado este ano foi de 905,6%, segundo a Comissão de Finanças do Legislativo.

"As condições que levaram à hiperinflação [...] se mantêm", disse o deputado Ángel Alvarado, membro deste comitê, durante coletiva de imprensa.

De fato, o Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que a inflação no país chegará a 10.000.000% ao fechamento de 2019.

Rompendo o silêncio de três anos, o Banco Central da Venezuela (BCV) revelou em 29 de maio passado que a inflação tinha alcançado 130.060% em 2018 e que a economia caiu à metade desde 2013.

O BC venezuelano ainda não divulgou as cifras de 2019.

O Legislativo, cujas decisões são consideradas nulas pela Justiça, que o considera em desacato, começou a fazer a estimativa por conta própria em 2017 e assegura que em 2018 a inflação foi de 1.698.488,2%

A Venezuela atravessa a pior crise de sua história recente, o que levou 3,3 milhões de pessoas a migrarem desde 2016, segundo as Nações Unidas, em meio a tensões pela disputa de poder entre o presidente socialista Nicolás Maduro e o líder opositor Juan Guaidó.

Maduro lançou em agosto passado um programa de reformas que incluiu a eliminação de cinco zeros do bolívar e uma depreciação de 96% da moeda, prometendo pôr um fim à emissão de dinheiro sem lastro, o principal combustível da inflação, segundo analistas.

Mas desde então, a moeda venezuelana se depreciou outros 99,01%. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.