internet Conheça alguns canais que combatem ideias extremistas no YouTube

Por: Daniel Avelar - Folha Press

Publicado em: 07/06/2019 07:33 Atualizado em:

Natalie Wynn, ou ContraPoints, é uma youtuber transgênero norte-americana. Foto: Reprodução/Wikipédia
Natalie Wynn, ou ContraPoints, é uma youtuber transgênero norte-americana. Foto: Reprodução/Wikipédia
O YouTube deixou de ser apenas um site de vídeos de entretenimento e se tornou um campo de batalha ideológica.

Extremistas de todo tipo -de simpatizantes de teorias da conspiração a neonazistas- usam a plataforma do Google para propagar suas ideias odientas a uma audiência global.

Sob pressão, a empresa anunciou na quarta-feira (5) novas regras para tentar conter a disseminação de discurso de ódio, e avisou que irá suspender e desmonetizar vídeos com conteúdo discriminatório.

Mas há também quem use a plataforma para combater a intolerância e o extremismo, casos dos três canais (em inglês) listados abaixo pela reportagem.

1. CONTRAPOINTS
Natalie Wynn, ou ContraPoints, é uma youtuber transgênero norte-americana que tomou para si a missão de desmistificar e desconstruir as ideias da alt-right (direita alternativa, em inglês).

Ela produz vídeos teatrais, tão engraçados quanto educativos, sobre os mais variados assuntos: do humor negro aos incels (celibatários alternativos, um tipo de subcultura da internet), passando pelo capitalismo e pelo fascismo.

Até mesmo alguns extremistas foram convencidos a abandonar o caminho da radicalização após assistirem aos seus vídeos -por isso, ContraPoints ganhou o apelido de "domadora de nazistas".

2. HBOMBERHUY
Harry Brewis, também conhecido como Hbomberguy, conhece como poucos a linguagem das redes.

O youtuber britânico faz referências a videogames e filmes para rebater as teorias pseudocientíficas, como o negacionismo climático e o terraplanismo, defendidas por ícones da ultradireita.

Com paciência e didática, Hbomberguy nos ajuda a entender por que tantas pessoas são seduzidas por ideias radicais.

3. STRIKETHROUGH
Na série Strikethrough, produzida pelo site americano Vox, o jornalista Carlos Maza discute o papel da mídia na era Trump.

Em seus vídeos, Maza explica as estratégias de propaganda usadas pelo presidente americano e sua emissora favorita, Fox News, para controlar o ambiente informacional do país.

Strikethough é referência obrigatória para quem busca entender como as ideias de extremistas vão parar no mainstream político e midiático dos Estados Unidos.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.