Cinema Pernambuco recebe festival com 17 filmes franceses

Por: Juliana Aguiar - Diario de Pernambuco

Publicado em: 06/06/2019 15:59 Atualizado em: 06/06/2019 16:43

A revolução em Paris. Foto: Divulgação
A revolução em Paris. Foto: Divulgação

Em sua 10ª edição, o Festival Varilux de Cinema Francês chega às telonas com a expectativa de ultrapassar um milhão de espectadores no Brasil. A partir desta quinta-feira (6) até o dia 19 de junho, mais de 80 cidades do país recebem, simultaneamente, a programação, com um apanhado recente da cinematografia francesa.

 

Em Pernambuco, as sessões serão realizadas em três cidades: Recife, Jaboatão e Paulista, nos cinemas do RioMar, São Luiz, Fundaj (Derby), Fundaj (Museu), MovieMax Rosa e Silva, Cinépolis Guararapes e Cinesystem Paulista North Way. Serão exibidos 16 longas-metragens e um filme clássico, contemplando os gêneros de ação, comédia, animação, drama e histórico, de várias classificações etárias. Confira a programação completa no site do Festival.

"Em 2010, o Varilux era apresentado em nove cidades para 22 mil espectadores. No ano passado, desembarcou em 88 cidades e conquistou 180 mil espectadores, provando que o público para um cinema diferente é sempre mais numeroso", afirma Emmanuelle Boudier, diretora e curadora do Varilux.

O evento, realizado pela produtora Bonfilm, abre uma janela para a exibição de filmes fora da esfera hollywoodiana. Para Christian Boudier, também diretor e curador do festival, o evento tem o papel de resistir em defesa da diversidade cultural e cinematográfica no Brasil.


"Queremos que a criação audiovisual continue a inventar e nos surpreender", explica, ressaltando a importância do investimento em cultura para a construção social. "Diante do apetite predador das novas plataformas digitais, é preciso discutir a importância do cinema ser apreciado primeiro nas salas, na telona, em comunhão com outras pessoas", explica Emanuelle. 

Além da programação comercial, algumas cidades pernambucanas serão contempladas com sessões educativas e de democratização: Triunfo, Caruaru, Jaboatão e Afogados da Ingazeira, com exibições em espaços alternativos e entradas gratuitas, numa parceria com o Sesc. A nova edição passeia por assuntos como críticas sociais e comédias e resgata momentos importantes da história da França.

Em homenagem aos 230 anos da Revolução Francesa, a programação traz o longa A revolução em Paris, de Pierre Schoeller, relembrando a luta dos franceses por seus direitos, sob os ideais de “liberdade, igualdade, fraternidade”. O Varilux também apresenta o clássico Cyrano de Bergerac, de Jean-Paul Rappeneau, lançado há 30 anos, que se baseia na comédia de Edmond de Rostand. A obra de 1897 é objeto de inspiração também de outro filme presente na seleção do evento, Cyrano, meu amor, de Alexis Michalik.

Outro ponto famoso no cinema francês, a questão social, estará presente na programação. O abuso sexual é destaque em Graças a Deus, de François Ozon, que retrata a vida de um padre acusado de molestar dezenas de meninos entre os anos 1980 e 1990. E Inocência roubada, de Eric Métayer e Andréa Bescond, baseado na história real vivida pela diretora, mostrando a dança como um importante meio de superar traumas sofridos a partir de abusos sexuais na infância.

Destaque também para a animação Asterix e o segredo da poção mágica, de Alexandre Astier e Louis Clichy, que estreia em solo brasileiro depois de ter vendido mais de quatro milhões de ingressos nas bilheterias francesas. O filme conta a aventura da já conhecida dupla Asterix e Obelix em busca de um novo guardião para a poção mágica da Gália. Na versão dublada, a produção é interpretada pelo humorista Gregório Duvivier, como Asterix.

Confira a lista de filmes:

Amor à segunda vista, de Hugo Gélin - Comédia
Asterix e o segredo da poção mágica, de Louis Clichy e Alexandre Astier - Animação
Através do fogo, de Frédéric Tellier - Drama
Boas Intenções, de Gilles Legrand - Comédia dramática
Cyrano, meu amor, de Alexis Michalik - Comédia dramática
Os dois filhos de Joseph, de Félix Moati - Comédia dramática
Filhas do sol, de Eva Husson - Drama
Finalmente livre, de Pierre Salvadori - Comédia
Graças a Deus, de François Ozon - Drama
Um homem fiel, de Louis Garrel - Comédia romântica
Inocência roubada, de Andrea Bescond e Eric Metayer - Drama
Meu bebê, de Lisa Azuelos - Comédia dramática
O mistério de Henri Pick, de Rémi Bezançon - Comédia
O professor substituto, de Sébastien Marnier - Drama/thriller
Quem você pensa que sou, de Safy Nebbou - Drama
A revolução em Paris, de Pierre Schoeller - Drama histórico
Cyrano de Bergerac, de Jean-paul Rappeneau - Comédia dramática/clássico



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.