Música MC Japão é investigado por difamação, ameaça e lesão corporal contra Vitória Kelly A dançarina solicitou uma medida protetiva na justiça. Caso o cantor descumpra, poderá ser preso em flagrante por crime inafiançável

Por: Emannuel Bento - Diario de Pernambuco

Publicado em: 04/06/2019 13:30 Atualizado em: 04/06/2019 15:13

Foto: Cenário Filmes/Divulgação
Foto: Cenário Filmes/Divulgação

A polêmica envolvendo celebridades do brega-funk, que tomou conta das redes sociais em maio, virou caso de polícia. A dançarina Vitória Kelly, acusada de ter “traído” MC Japão com Dadá Boladão, foi até a Delegacia da Mulher de Santo Amaro para fazer um boletim de ocorrência de difamação, injúria, ameaça e lesão corporal contra o ex-namorado.

Ela ainda solicitou uma medida protetiva, já que disse ter sido ameaçada pelo cantor. A Vara de Violência Doméstica deferiu o pedido e Thiago Victor de Melo Santos (nome de batismo do MC) deve manter distância de 200 metros da ex-namorada, além de evitar qualquer contato por telefone ou internet. Caso descumpra a medida, ele pode ser preso em flagrante por crime inafiançável.

O caso começou no dia 16 de maio, quando Vitória Kelly e Dadá Boladão estavam gravando o videoclipe da música Vou te machucar. Após as filmagens, MC Japão perseguiu os dois em um carro, abordando o táxi em que eles estavam e pedindo para “descer a janela”. Tudo foi registrado em vídeo, posteriormente publicado nas redes sociais. Na gravação, ele expõe os artistas e xinga a pernambucana com gírias negativas.

MC Japão também compareceu na delegacia na manhã desta terça-feira (4). Na saída, não quis falar com a imprensa. Os esclarecimentos ficaram por conta de Tereza Nogueira, delegada da Mulher que está acompanhando o caso. “O Thiago afirma que a publicação na internet não foi feita por ele, mas sim por uma outra pessoa. Ele teria enviado o vídeo apenas para esse indivíduo, que teria sido responsável pelo compartilhamento maior na internet”, explica a delegada.

“Por isso, a investigação pelo conteúdo mais danoso da difamação continua. Japão já estava difamando quando mandou para uma única pessoa, mas o conteúdo começa a tomar uma proporção incontrolável quando chega em terceiros ”, continua a policial. Após a gravação do vídeo, Japão ainda teria jogado um óculos na perna da dançarina, causando um hematoma. 

“Se tivermos provas materiais de todas as acusações, ele será indiciado. Por enquanto, foi apenas interrogado e teve a oportunidade de se defender. No entanto, temos provas cabais da injúria e da difamação, que no caso não foi feita apenas por ele”, diz ela.

No boletim de ocorrência, Kelly ainda afirmou que o ex-namorado teria feito uma canção para difamá-la - um remix que usa trechos do vídeo que viralizou junto com batidas do brega-funk. Em shows, ele estaria tocando a música, convidando o público a xingá-la. Em depoimento, Japão afirmou que não foi o responsável pela produção da música e que, atualmente, recusa apresentações em casas de shows que continuam tocando a faixa.

Tereza Nogueira finalizou a entrevista lamentando a repercussão do caso, ressaltando que a polêmica foi instaurada porque a traição teria sido feita por uma mulher. “Tantos homens praticam a traição e não se coloca na internet. Não se cria uma celeuma em torno deles. As pessoas não fazem remixes para xingá-los. Isso para mim só transmite a herança de uma cultura patriarcal, machista e conservadora”.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.