FOTOGRAFIA Coletivo CRIA faz exposição fotográfica sobre comunidade do Arruado

Publicado em: 14/05/2019 16:08 Atualizado em: 15/05/2019 09:12

O grupo é formado pelos fotógrafos Alcione Ferreira, Camilo Soares e Iezu Kaeru. Foto: Alcione Ferreira / Divulgação
O grupo é formado pelos fotógrafos Alcione Ferreira, Camilo Soares e Iezu Kaeru. Foto: Alcione Ferreira / Divulgação
O coletivo fotográfico CRIA, formado pelos fotógrafos Alcione Ferreira, Camilo Soares e Iezu Kaeru, realiza na próxima quinta (16), a partir das 15h, a exposição “Arruado” na comunidade de Arruado do Engenho Velho, situada dentro do Campus da UFPE. A exposição integra um conjunto de ações protagonizado pela comunidade em comemoração aos cinco anos da formação do Movimento de Resistência Popular ARRUADO, que luta pela preservação e reconhecimento da comunidade, originária dos antigos trabalhadores do engenho que existia ali antes da construção do Campus UFPE. A sugestão de ingresso é a doação de um livro ( infantil ou adulto) para a biblioteca comunitária.

O Arruado é um rastro de história que resiste vivo no meio do Campus UFPE/Recife. Originário dos antigos posseiros do engenho quando suas terras foram doadas pelo então dono Joaquim Amazonas para a construção da universidade, a comunidade se fixou nas margens do caminho colonial da Várzea, um dos três sendeiros que partiam do Recife traçados por Maurício de Nassau no século XVII. Lutar pelo tombamento do que restou de terras e casas onde hoje habitam os familiares dos antigos ex trabalhadores do engenho e o reconhecimento como patrimônio histórico da Várzea é uma das reivindicações do movimento.

As imagens foram impressas em tecido Oxford no formato 120X80 cm e estarão dispostas em todo território da comunidade: na frente das casas, em varais de roupas, nos troncos das árvores e muros, possibilitando uma oportunidade para que os visitantes percorram  e sintam o lugar por meio de um passeio pelas imagens e materialidade do Arruado. Trata-se de uma série de 25 retratos onde os moradores da comunidade passam a ser os protagonistas do lugar, seja em suas tarefas rotineiras, ou mesmo posando para os artistas. Haverá, ainda, uma roda de conversa com os moradores, professores e estudantes que apoiam a comunidade, os artistas da exposição, além de apresentação de teatro de fantoche idealizado e dirigido pelas crianças da comunidade. 

Sobre o Coletivo CRIA ( Caminhando pela Rua de Imagens Abstratas) - formado em 2017  pelos fotógrafos Alcione Ferreira, Camilo Soares e Iezu Kaeru, o grupo vem  investigando a relação da cidade enquanto espaço afetivo de pertencimento e  subjetividade na construção das relações humanas.  Dentre as ações já realizadas do grupo estão:

Exposição CRIA – Reflexões sobre o meio urbano  
CASA BELCH – 27 Festival de Inverno de Garanhuns- Garanhuns - (Jul/2017)
Exposição CRIA – Reflexões sobre o meio urbano  
CENTRO CULTURAL DOS CORREIOS – Recife – ( Dez/Jan 2017-2018 )
Exposição ARRUADO  
ESTAÇÃO 4 CANTOS – Pequeno Encontro da Fotografia – Olinda (ago-set/2018)


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.