Música Música romântica invade as ruas do Recife no 25º Festival Nacional de Serestas

Por: Juliana Aguiar - Diario de Pernambuco

Publicado em: 08/05/2019 16:24 Atualizado em: 08/05/2019 16:35

Adilson Ramos. Foto: Inaldo Menezes/Arquivo PCR
Adilson Ramos. Foto: Inaldo Menezes/Arquivo PCR

Foi aos 12 anos que o pequeno romântico Adilson Ramos começou a compor Sonhar contigo, em parceria com o letrista Armelindo Leandro. A música foi trilha sonora da minissérie Hilda Furacão, da TV Globo e é a canção mais tocada de sua carreira, tendo sido responsável por embalar os passos dos jovens em danceterias. Inspirado por Cauby Peixoto e Orlando Dias e pelo rock dos americanos Paul Anka e Neil Sedaka, o cantor já cantava notas de amor antes do grupo Jovem Guarda. O artista, considerado o Rei da Seresta, abre o 25º Festival Nacional da Seresta, evento que faz parte do calendário
festivo do Recife, e estreia hoje, às 20h, seguindo até o dia 11 de maio, véspera do Dia das Mães.

As serestas brasileiras remontam às serenatas europeias, e cantam sentimentalismo, através das músicas românticas, um dos gêneros mais tradicionais no país. Durante quatro noites, pelo palco montado na Praça do Arsenal da Marinha passam, além de Adilson Ramos, estrelas da música romântica no país. As ruas do Bairro do Recife se enchem de casais que curtem dançar com os rostos colados e cantar os sucessos que embalaram a juventude. 

Com 59 anos de carreira, Adilson Ramos, responsável também pelos sucessos Sonhei com você, Duas flores e Tão somente uma vez (versão de Solamente una vez), esteve presente em todas as edições anteriores do evento. “Eu costumo dizer que não faço shows, são reuniões de amigos. O festival é um marco na minha carreira artística e tenho muita honra de participar todos esses a nos. Sou um romântico de nascença”, conta o cantor, natural do Rio de Janeiro, mas residente no Recife desde os 37 anos. Aqui, recebeu os títulos de Cidadão Pernambucano e Recifense. De acordo com o artista, ele é um cantor da família. “Canto para avós, filhos, netos… é emocionante ouvir minha música sendo cantada por tantas gerações distintas”, pontua Adilson Ramos.

Para o cantor, o festival também é responsável por resgatar o romantismo, perdido com o passar dos anos. “Músicas sempre falam de amor, mas hoje em dia são diferentes. Antes se cantava um amor de início, meio e fim. A idealização, a conquista, a paquera, o envolvimento, até chegar no dar as mãos, nos beijos. Os caminhos e os encantos não são mais os mesmos, tudo é muito imediato e está sendo vulgarizado. Agora se canta um amor de forma descontínua”, explica o artista de 74 anos. Com o intuito de fazer o público embarcar nas melodias românticas, ele promete investir na troca de energia.

ATRAÇÕES
A programação do Festival de Serestas deste ano conta com um grande número de pernambucanos. Entre eles estão Edilza Aires, Zuza & Thaís, Coral Edgar Moraes, Orquestra das Pás, Bia Marinho e Cristina Amaral, que cantará músicas de Nelson Gonçalves. Entre as atrações nacionais, Rosana, conhecida por O amor e o poder, nos anos 1980, relembra outros sucessos da carreira como Nem um toque. Fundada em 1960, a banda Renato e seus Blue Caps, encerra o festival na noite do sábado, com sucessos como Não te esquecerei, Feche os olhos, Ana eVivo só.

Com um repertório ultrarromântico, Leonardo Sullivan aposta em Meu dilema, Memórias e Fiel como um cão Fernando Mendes subirá ao palco para cantar Você não me ensinou a te esquecer, música que embalou as décadas de 1970 e 1980. Agnaldo Timóteo também marca presença no time dos veteranos. Altemar Dutra Júnior, que há dois anos não participava do festival, retorna com Sentimental demais e Que queres tu de mim. O cantor Ovelha, conhecido por Sem você não viverei, estreia na programação do evento, que é gratuito e aberto ao público na Praça do Arsenal, com realização de Daniel Bueno Produções e apoio da Prefeitura do Recife e do Governo do Estado.

Confira a programação completa:

8 de maio (hoje):
20h – Roberto Barradas
21h – Edilza Aires
22h – Gilliard
23h – Adilson Ramos

9 de maio (quinta-feira): 
20h – Orquestra das Pás
21h – Cello Gomes
22h – Agnaldo Timóteo
23h – Altemar Dutra Jr 

10 de maio (sexta-feira):
19h – Zuza Miranda
20h – Cristina Amaral canta Nelson Gonçalves
21h – Coral Edgar Morais
22h – Rosana
23h – Ovelha

11 de maio (sábado):
19h – Bia Marinho
20h – Leonardo Sullivan
21h – Orquestra Virtual
22h – Fernando Mendes
23h – Renato e seus Blue Caps

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.