Música Banda Howay, representante do ska em Pernambuco, abrirá show de Pitty no Recife Grupo divide palco com Flaira Ferro e Bella Schneider em show no Baile Perfumado

Por: Emannuel Bento - Diario de Pernambuco

Publicado em: 05/04/2019 08:31 Atualizado em: 05/04/2019 13:52

Foto: Howay/Divulgação
Foto: Howay/Divulgação

O "ska" pode até ser um gênero musical desconhecido por muitos, mas impacto dele na cultura musical desde a metade do século 20 é inegável. O ritmo nasceu unindo elementos caribenhos (mento e calipso) com estadunidenses (jazz e rhythm and blues). Deu origem ao rocksteady e o reggae, entonando letras de cunho social. Abaixo da Linha do Equador, também inspirou a banda recifense Howay, que atua na cidade desde 2006 e, neste sábado (6), abrirá o show da baiana Pitty no Baile Perfumado, Zona Oeste da capital. O grupo contará com a participação de outras duas cantoras pernambucanas: Flaira Ferro e Bella Schneider.

O vocalista Guto Quijano explica que a Howay começou como um grupo de hardcore, variação mais mais pesada do rock. “Através dos anos a gente foi respirando novas influências e incluindo os metais na banda, adicionando o ska, que mais tarde viria a ser nosso principal gênero. Foi um processo meio natural”. Atualmente, a banda é formada por Sávio Ferraz (baixo), Alberto Jungle (guitarra), Pedro Moraes (trompete), Mário Menezes (trombone) e Diógenes Filgueira (sax). 

Eles apostam no ska two tone, uma vertente iniciada no final da década de 1970 na Inglaterra, em torno do selo de mesmo nome criado por Jerry Dammers, tecladista do The Specials - uma das influências internacionais dos recifenses junto com Skatalites, The Beats, Sublime e Long Beach Dub Allstars. Entre as referências nacionais estão nomes como Chico Science e Nação Zumbi, Cordel do Fogo Encantado, Siba, Alceu Valença, Charlie Brown Jr. e Titãs. 

No ano passado, lançaram Arrebate, primeiro álbum de estúdio que marcou os 11 anos de estrada do grupo. Também lançaram o projeto Howay+, em que fazem releitura de algumas músicas já consagradas. Contaram com a participação de nomes locais com Caniball, Bella Schneider, Flávio Gima e Flaira Ferro, que também subirá palco no Baile Perfumado para show solo.



"É interessante porque viemos fazendo um gênero que não é tão conhecido no Brasil e tocamos com pessoas que não fazem do meio. O ritmo é tão contagiante, massa, que o resultado é sempre positivo. Conseguimos levar um sentimento massa, com todos esses metais no palco, toda essa energia que o show tem", diz Quijano.

A expectativa é que essa sensação também se alastre pelo Baile Perfurmado no sábado, uma oportunidade para ser visto pelo público considerável da roqueira baiana. “A expectativa é massa por conta essa mistura. Pitty vem em uma vertente mais rock n’ roll, enquanto damos uma cara mais de ska punk. Também queremos misturar nossas músicas com ritmos gêneros musicais e soltar algumas novidades”, continua. O público também pode esperar covers versáteis de músicas de nomes como Tim Maia, Lenine, Alceu, Raul Seixas, Radiohead, entre outros. 

NOVO DISCO
A Howay atualmente está trabalhando em um novo disco (ainda sem título) com as tres vertentes do ska: a "primeira geração" a Jamaica, o two tone inglês e a terceira e mais atual, chamada de ska punk. O diferencial mesmo vem justamente por essa fusão com ritmos regionais, como frevo e caboclinho, para fisgar mais o público pernambucano. 

Conheça mais da Howay nas redes sociais do grupo: InstagramFacebook YouTube.

SERVIÇO
Show da Banda Howay, abertura do show da cantora Pitty
Onde: Baile Perfumado (Rua Carlos Gomes, 390, Bairro do Prado)
Quando: sábado (6), a partir das 22h
Quanto: R$ 120 (pista), R$ 60 (meia), R$ 190 (fronstage), R$ 95 (meia) e R$ 170 (lounge open bar), à venda no Eventbrite.
Informações: 98630.5377



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.