cinema Warner divulga 'Coringa' e sequência de 'It' na CinemaCon

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 03/04/2019 11:29 Atualizado em: 03/04/2019 11:32

Foto: Reprodução/Youtube/Warner
Foto: Reprodução/Youtube/Warner

Qual a origem do Coringa, um dos vilões mais famosos de Gotham City? O diretor Todd Phillips tenta responder a essa pergunta em um dos filmes mais aguardados do ano.

A Warner Bros. apresentou na CinemaCon o trailer de "Coringa" como parte da divulgação de suas produções para o restante de 2019, que também incluiu uma cena assustadora "It: A Coisa, Capítulo 2", com Beverly Marsh mais velha, interpretada por Jessica Chastain.

O trailer mostra Joaquin Phoenix como Arthur Fleck, antes de se tornar o vilão, dançando com a mãe, ajudando-a a tomar banho, trabalhando como palhaço e sendo agredido por perseguidores, ou seja, uma vítima.

"Minha mãe sempre disse para colocar o melhor sorriso no rosto", afirma. "Que tivesse um propósito, levar risos e alegria ao mundo". "Sou eu ou as coisas estão ficando cada vez mais loucas?", pergunta, depois que um grupo rouba um cartaz e o agride.

A única coisa que o denuncia é uma risada assustadora que mostra o caminho para um Coringa sombrio, perturbador.

"Não tenho muito o que dizer sobre o filme porque ainda está tomando forma, mas também porque quero que seja uma surpresa", disse Phillips na apresentação do trailer durante a conferência que reúne produtores, distribuidores e donos de salas de cinema em Las Vegas, uma cidade que conhece bem depois de dirigir a trilogia "Se Beber, Não Case".  "Muito foi falado sobre o que este filme é e sobre o que não é, a maioria não acertou. Imagino que é algo que você deve esperar quando se propõe a contar a história do início de um personagem amado cuja origem não é definitivo", completou, depois de classificar o gênero do longa-metragem como uma "tragédia" .

O filme sobre o vilão - que já foi interpretado no cinema por Jack Nicholson, Jared Leto e Heath Ledger, que venceu o Oscar de ator coadjuvante pelo papel - tem estreia programada para outubro.



Do universo DC, a Warner exibiu imagens da sequência de "Mulher Maravilha" e de "Birds of Prey", que chegam aos cinemas em 2020, além de "Shazam!", que estreia esta semana. "Estamos emocionados porque Diana está com todos os seus poderes", afirmou a diretora de "Mulher Maravilha 1984", Patty Jenkins, em um vídeo.

Mulheres mafiosas
O tradicional estúdio de Hollywood anunciou ainda títulos como "Shaft", a sequência de "Space Jam" (com LeBron James), "Godzilla" e "Detetive Pikachu", que apareceu no palco como um holograma com a voz de Ryan Reynolds. Também exibiu um trecho da sequência de "O Iluminado", "Doctor Sleep".

O gênero terror foi o destaque, com direito a uma cena de "It: A Coisa, Capítulo 2", na qual Beverly Marsh retorna à casa de seu pai.

O jovem elenco que formou o "clube dos perdedores" do primeiro filme compareceu ao evento acompanhado pelos atores que interpretam os personagens em idade adulta: Bill Hader, James McAvoy, Isaiah Mustafa, além de Jessica Chastain. "Nós somos parecidas", brincou Sophia Lillis, que afirmou ter previsto que Chastain interpretaria a Beverly Marsh adulta.

O estúdio também prevê as estreias de "O Pintassilgo", uma adaptação do aclamado livro de Donna Tartt, do romance policial "Motherless Brooklyn", dirigido por Edward Norton, e do drama "The Good Liar", com Ian McKelen e Helen Mirren. 

A veterana atriz inglesa não perdeu a oportunidade de alfinetar a Netflix: "Eu amo a Netflix, mas f*** a Netflix".

Em agosto estreia "The Kitchen", com Elisabeth Moss, Melissa McCarthy e Tiffany Haddish, sobre as esposas de  mafiosos presos que aprendem a administrar os negócios dos maridos e se tornam muito perigosas.

O CEO da Warner, Kevin Tsujihara, renunciou ao cargo em 18 de março após os boatos de um romance com uma jovem atriz britânica, que ele teria ajudado a conseguir papéis usando sua influência.

Apesar da crise, Toby Emmerich, que preside o comitê diretor da empresa, afirmou que Tsujihara deixou uma "marca indelével na história" do estúdio. "Foi responsável por um dos melhores períodos de crescimento financeiro e tornou (a empresa) mais inclusiva a nível executivo e no talento atrás e à frente das câmeras".


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.