• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
TV Netflix tem mais usuários que tevê a cabo, diz pesquisa O canal de streaming ultrapassou os 50 milhões de telespectadores nos Estados Unidos

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 20/06/2017 21:50 Atualizado em: 20/06/2017 21:39

A empresa, sediada na Califórnia, já tem mais assinantes que TVs a cabo nos EUA. Foto: Ryan Anson
A empresa, sediada na Califórnia, já tem mais assinantes que TVs a cabo nos EUA. Foto: Ryan Anson
A Netflix tem dado passos largos para se tornar o novo padrão de mídia. Segundo uma pesquisa feita pelo grupo americano Leichtman Research, o número de usuários do streaming superou a quantidade de assinantes de tevê a cabo nos Estados Unidos. 


Desde 2012, a tevê tem perdido usuários. No primeiro trimestre deste ano, as empresas de tevê a cabo perderam cerca de 100 mil assinantes e chegaram a alcançar 48 milhões de pessoas. Em compensação, a Netflix ganhou, só nesse período, mais 1,4 milhão de novos usuários, o que contabiliza mais de 50 milhões de usuários ativos. 

Nos últimos anos, a disputa pelo público é acirrada: em cinco anos, os provedores de tevê por assinatura perderam 4 milhões de assinantes, enquanto o streaming ganhou 27 milhões. Isso representa mais de 100% do número de usuários de tevê a cabo em 2012. 

Mercado da Netflix 

A Netflix tem conquistado o público pelas produções originais, como Narcos, House of cards e Orange is the new black. Reed Hastings, CEO do streaming, declarou em uma entrevista a rede de tevê CNBC que planeja gastar, em 2017, US$ 6 bilhões (ou R$ 19,7 bilhões) apenas com conteúdos próprios. 

A Digital TV Research também tem pesquisado sobre o assunto. Um estudo da empresa prevê que, em 2018, a expansão de usuários da Netflix no mundo vai superar a quantidade de assinantes nos Estados Unidos. 

A Netflix tem causado reviravoltas no contexto da mídia. A televisão e o cinema, por exemplo, têm sido impactados pela rápida expansão do streaming. Em abril, roteiristas de Hollywood quase entraram em greve por causa da revolução da indústria televisiva e da diminuição de demanda de roteiros para comédias e dramas, já que a média de episódios por temporada caiu de 22 para 10. 

No Festival de Cannes, em maio deste ano, a Netflix estreou com vaias a produção original Okja, dirigida pelo sul-coreano Bong Joon-ho, e causou polêmica ao afirmar que não pretende exibir suas produções nas salas de cinema francesas.

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.