• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Show Recifense naturalizada na Alemanha, Sanni fala sobre arte e transexualidade antes da estreia em casa Apresentação mistura elementos de maracatu, canto lírico e música eletrônica e busca ressignificar a posição da mulher na arte e na sociedade

Por: Matheus Rangel

Publicado em: 20/01/2017 15:58 Atualizado em: 23/01/2017 16:29

O show tem como objetivo ressignificar a posição da mulher no mercado cultural e em outros segmentos da sociedade. Foto: Juliie Montauk/Divulgação
O show tem como objetivo ressignificar a posição da mulher no mercado cultural e em outros segmentos da sociedade. Foto: Juliie Montauk/Divulgação


Batidas de maracatu, canto lírico e ecos da música eletrônica berlinense se misturam no ritmo de Sanni Est. Recifense naturalizada alemã, ela escolheu o Recife para fazer o debut da carreira como cantora e faz o show de estreia nesta sexta-feira (20), no Texas Café Bar, às 21h. "As pessoas não entendem. Eu acho que só dá pra entender ouvindo mesmo. Meu processo criativo é muito espontâneo, às vezes estou ouvindo um som e pego ecos, transformo num ritmo diferente, me inspiro", classifica a artista sobre a sonoridade do seu trabalho.

Confira o roteiro de shows e prévias no Divirta-se

A aspecto exótico da música de Sanni vem da bagagem cultural que a cantora acumula desde a infância, quando entrou para o Conservatório de Música de Pernambuco e passou a praticar canto e violino. Já fez aulas de dança, teatro e atuou como DJ na Alemanha, onde mora desde os 18 anos. Foi por volta dessa idade, aliás, que Sanni começou a se descobrir enquanto mulher trans. Dez anos depois, aos 28, conta como percorreu um caminho árduo até desenvolver a segurança que exibe hoje: "Sempre fui uma pessoa artística no Brasil, mas parei ao chegar na Alemanha. Por ser um país novo e eu precisar aprender a língua, me adaptar aos costumes e precisar procurar um emprego, não tinha coragem e a liberdade de me expressar".

Intitulado PhotophobiA, o espetáculo que apresenta no Recife também vai passar pelas cidade de São Paulo, Rio de Janeiro e Natal. Foto: Valério Araújo/Divulgação
Intitulado PhotophobiA, o espetáculo que apresenta no Recife também vai passar pelas cidade de São Paulo, Rio de Janeiro e Natal. Foto: Valério Araújo/Divulgação


O despertar da transexualidade foi dos fatores preponderantes para a inibição do lado artístico dela. "Fiquei bloqueada", conta. A decisão de voltar a praticar as "artes performáticas", como chama, veio depois de sofrer uma emergência após a cirurgia de redesignação de gênero e precisar ficar internada por duas semanas: "Percebi que só ia viver uma vez, então ia atrás do que eu queria. Já que eu quero ser feliz, quero ser completamente, agora o novo desafio é voltar às artes performáticas com meu novo corpo, minha nova voz e expressividade".

Foto: Juliie Montauk/Divulgação
Foto: Juliie Montauk/Divulgação


Intitulado PhotophobiA, o espetáculo que apresenta no Recife também vai passar pelas cidade de São Paulo, Rio de Janeiro e Natal e foi concebido durante uma passagem por um museu em Milão, na Itália. "Eu vi, em uma exposição sobre surrealismo, que todos os quadros eram pintados por homens, todos os conceitos eram de homens e o objeto de estudo e observação era quase sempre feminino.Os homens decidiam se a mulher do cabelo negro era misteriosa, se a mulher do peito grande representa a luxúria e se a loira, inocência e pureza. Quem são vocês pra decidir e expor assim?", questiona.

O show, portanto, tem como objetivo ressignificar a posição da mulher no mercado cultural e em outros segmentos da sociedade. "A luz, o conhecimento, a arte e a ciência são todos conceitos elaborados, desenvolvidos e oficializados exclusivamente do ponto de vista de indivíduos machos. Portanto precisam e devem ser reelaborados, redescobertos, explorados e reinventados", diz a descrição da apresentação. Acompanhada do irmão mais novo, Marley, Sanni promete tocar "poesia lúdica e afiada de mulher trans-de cor-empoderada" na forma de canções como In the dark morning, Cobra, Kali e His scent em um repertório cem por cento autoral.




SERVIÇO
Sanni apresenta PhotophobiA
Quando: 20 de janeiro, às 21h
Onde: Texas Café Bar (R. Rosário da Boa Vista, 163, Boa Vista)
Quanto: gratuito
Informações: 30318144

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.