• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Música 'O sertanejo é a MPB atualmente', diz Marília Mendonça, brasileira mais vista no YouTube mundial Cantora e compositora faz uma média de 25 shows por mês

Por: Marina Simões - Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/08/2016 09:59 Atualizado em: 13/08/2016 14:28

Cantora tem letras voltadas às mulheres. Foto: Rames/Divulgação
Cantora tem letras voltadas às mulheres. Foto: Rames/Divulgação

Aos 21 anos de idade, Marília Mendonça se tornou fenômeno da música brasileira com repertório autoral. Em um ano de carreira, ganhou o título de revelação feminina do sertanejo e se virou uma das principais vozes do gênero no país. A popularidade instantânea, com direito ao apelido de "Adele do sertanejo", é reforçada pelo posto de artista brasileira mais vista no YouTube mundial nesta semana. O canal dela na plataforma de vídeos está na 15ª posição - atrás de nomes como Justin Bieber, Rihanna, Beyoncé e Katy Perry. Somente no mês de julho, foram 269 milhões de visualizações - a maioria originada em São Paulo (1º) e no Recife (2º).

A agenda preenchida com média de 25 shows mensais e outras atividades ligadas chegou a afetar fisicamente a artista. No fim de julho, Marília foi hospitalizada com estafa - exaustão física e mental causada por estresse - e cancelou a agenda, incluindo uma apresentação no Recife. Mas ela volta à capital pernambucana para show na festa Me Abraça e Me Beija, hoje, a partir das 20h, no Clube Internacional, na Madalena. Sobem ao palco, ainda, Joelma, Léo Guilherme e Banda Kiamo. A notícia do cancelamento do show no Piauí gerou protestos violentos de parte dos fãs, que atearam fogo nas cabines da bilheteria. "Estou exposta a esse tipo de situação, é normal, mas, neste dia, tive problema de saúde e algumas pessoas não entenderam", lamenta a cantora, que chegou a receber mensagens com ameaças de morte (Veja entrevista completa abaixo).

Desde agosto do ano passado, ela circula pelo país com o repertório do DVD Marília Mendonça ao vivo (Som Livre), composto por hits como Infiel, Como faz com ela, Sentimento louco e O que é amor pra você. A cantora nascida no interior de Goiás entrou no mainstream como compositora, assinando canções de sucesso nas vozes de Henrique e Juliano (Cuida bem dela e Até você voltar), Jorge e Mateus (Calma) e Cristiano Araújo (É com ela que eu estou). Antes de se firmar como cantora, ela figurou na relação dos dez compositores que mais arrecadaram com direitos autorais nas rádios em 2015, segundo o ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição).

As composições de Marília são protagonizadas por mulheres e se caracterizam por contrapor letras de cunho masculino comuns no sertanejo. Elas geram identificação com histórias sobre relacionamentos, bebidas, infidelidade. Um segundo DVD com repertório inédito será gravado em outubro, em Manaus. A estratégia é fortalecer o sertanejo no Norte do país.

SERVIÇO
Me Abraça e Me Beija
Quando: Sábado (13), às 20h
Onde: Clube Internacional, na Madalena
Ingressos: R$ 50 (pista) e R$ 90 (área VIP)


Ouça a playlist com composições de Marília Mendonça:



ENTREVISTA Marília Mendonça // cantora 


Marília cancelou shows, recentemente, após apresentar quadro de estafa. Foto: Instagram/Reprodução
Marília cancelou shows, recentemente, após apresentar quadro de estafa. Foto: Instagram/Reprodução
 


A que atribui o sucesso da carreira?

Aos fãs. Simplesmente isso. O público me abraçou, se identificou comigo, com o meu som. As redes sociais foram fundamentais também.

O ritmo sertanejo é geralmente desprezado pelos críticos musicais do Brasil e sempre fica de fora de listas criadas para definir o som de qualidade produzido no país. O país é preconceituoso com o gênero?
Olha, isso foi antes viu? Agora, é uma minoria que não abraça o ritmo, mas o sertanejo é a MPB atualmente, é popular. Vê a lista da Billboard das mais tocadas em 2015. O sertanejo dominou.

Você tem um tipo físico que foge ao padrão de beleza estabelecido pela “ditadura da magreza”. O que pensa do fato de fazer sucesso sem precisar atender a imposições?
Ah, gente. Eu gosto é de cantar, de ser feliz, de escrever. Eu acredito que, a partir do momento em que as pessoas se amam do jeito que são, os outros olham da mesma forma para ela.

Como encara a comparação com a cantora Adele?
Eu fiquei bem feliz, achei que o povo estava exagerando. Mas, no fundo, amei. É um prestígio pra mim.

Junto com a dupla Maiara e Maraisa, Paula Mattos e Naiara Azevedo e outras compositoras, você está na vertente do sertanejo que fala para as mulheres. A ideia é fugir discurso machista de "festas, mulheres e carros"?
A ideia é colocar a mulher numa posição que é dela, independente, valente, que não aceita discursos abusivos, que não merece ser menosprezada. Isso que mais vale pra gente. Mulher pode cantar sobre bebida também, pode sentar em um bar e beber, chorar por amor, assumir traições. Mulher tem que ser verdadeira e expressar o que sente, fazer o que gosta.

Uma nova geração de artistas defende o empoderamento feminino. Acredita que suas músicas se encaixam nesse contexto? Você se considera feminista?
Não me considero, não. Me considero uma pessoa que busca igualdade. Se eu me colocar como feminista, vou assumir que existe diferença, e é isso que temos que evitar.

O que pode adiantar do novo DVD? Qual o critério de escolha de Manaus para sediar a gravação?
Eu estava em dúvida de alguns lugares, fui tão bem recebida pelo Brasil em todos os lugares em que cantei. Mas, levando em conta que muitos artistas escolhem lugares mais comuns ao sertanejo, eu optei por lá. O DVD será lindo, deve ter participações, mas é surpresa ainda. Repertório inédito e deve entrar alguma do primeiro.

Depois de emplacar hits com o DVD Marília Mendonça ao vivo, há uma certa cobrança na hora de selecionar as canções para o segundo projeto?
Eu me cobro muito, mas deixo meu coração falar, sentir e escolho.

Como está fazendo para compor? A agenda atrapalha? O que tem te inspirado?
Eu me adequo e, quando tenho um tempinho, escrevo com meus parceiros.

Recentemente, você viveu episódios como a bilheteria que foi incendiada no Piauí e as ameaças de morte nas redes sociais. Como encara essas situações?
Estou exposta a esse tipo de situação, é normal. Mas, neste dia, eu tive problema de saúde e algumas pessoas não entenderam. Mas quero trabalhar pra atender sempre meu público.

Em algum momento já se arrependeu de ter trocado a rotina no escritório como compositora pela agenda de shows repleta de compromissos na estrada?
Não, em nenhum momento.

Qual a importância do Recife e do interior de Pernambuco na construção da sua carreira? Tem vontade de gravar um DVD aqui?
Tenho vontade de gravar DVD no Brasil inteiro. Tô apaixonada por cada lugar por que passo. Eu amo Recife, já é a minha segunda casa.

No YouTube, seus vídeos conquistaram grande visibilidade e números expressivos. Como pretende explorar a popularidade nessa rede?
Acho que nosso trabalho está bem feito, quero continuar com a minha equipe, quero fazer meu trabalho assim, sendo vista, reconhecida.

Em relação às parcerias musicais, com que artista você gostaria de dividir o palco ou ter uma música gravada?
Eu não quero dar nomes aqui. São tantos. Mas, no meu DVD, eu queria que acontecesse uma parceria destas.

Quais serão os próximos passos da carreira de Marília Mendonça?
O meu DVD, a divulgação, os shows pelo Brasil. Sempre com os pés no chão.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.