• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Literatura Com 2 milhões de livros vendidos, Thalita Rebouças autografa no Recife Para o encontro com os fãs recifenses, Thalita está animada: "Adoro ir a Pernambuco. Sou sempre muito bem recebida"

Por: Marcela Assis - Diario de Pernambuco

Publicado em: 18/06/2016 13:00 Atualizado em: 17/06/2016 19:20

Thalita Rebouças é conhecida pela série juvenil "Fala sério!". Foto: Reprodução da internet
Thalita Rebouças é conhecida pela série juvenil "Fala sério!". Foto: Reprodução da internet

A cada criação, a escritora Thalita Rebouças costuma externar referências colhidas no cotidiano. "Eu, como escritora, estou sempre observando os adolescentes, em qualquer lugar", destaca. As últimas análises resultaram na obra infanto-juvenil Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática. Na publicação, a autora aborda o bullying através da personagem Tetê, uma menina constantemente insultada no colégio: "É um assunto super em evidência", comenta a carioca. O lançamento do livro no Recife será neste sábado (18), às 13h, na livraria Leitura do shopping Tacaruna, com sessão de autógrafo.

Em 272 páginas, Thalita narra os desafios encontrados pela protagonista. Na história, ela precisa se mudar com a família para a casa da avó. Além do novo endereço, Tetê passa a encarar uma realidade diferente após a demissão do pai. Somado a tudo isso, a menina nutre um constante medo de voltar a ser alvo de piadas entre os colegas. O enredo do livro não tem relação com experiências pessoais da escritora: "Era feia e esquisita, mas era engraçada, então nunca sofri com isso. Pelo contrário, me dava bem com todo mundo", comenta.

Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática
(Editora Arqueiro) entra para a lista das 20 publicações lançadas pela carioca. Ao todo, a autora de sucessos como Fala sério, mãe já vendeu mais de dois milhões de livros.

Neste ano, pela primeira vez, uma obra dela vai virar filme. É Fada, inspirado no título Uma fada veio me visitar, contará com a YouTuber Kéfera no elenco. Outras cinco adaptações estão previstas: Tudo por um Popstar, Fala Sério, mãe, Ela disse, ele disse, Tudo por um namorado e Era uma vez minha primeira vez. "Os convites partiram de diretores e donos de produtoras que leram os livros e pensaram em transformá-los em filmes", conta.

Para o encontro com os fãs recifenses, Thalita está animada: "Adoro ir a Pernambuco. Sou sempre muito bem recebida. Tenho leitores que me acompanham há muito tempo por aí e que sempre vão me ver". Em entrevista ao Viver, a escritora falou sobre a própria adolescência, bullying e novos projetos. Confira:

Foto: Editora Arqueiro/Divulgação
Foto: Editora Arqueiro/Divulgação
>>Entrevista// Thalita Rebouças, escritora

Em seu novo livro, Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática, você aborda a questão do bullying. Você enfrentou esse tipo de situação na adolescência? Qual a importância de falar sobre isso?
Não. Eu era feia e esquisita, mas era engraçada, então nunca sofri com isso. Pelo contrário, me dava bem com todo mundo. Mas o bullying é um assunto super em evidência, que se faz necessário abordar para ajudar quem passa por isso, para ajudar as pessoas a verem que isso, de fato, existe e pode ser muito prejudicial. Não se trata de uma brincadeira.


Além do bullying, seus livros, em geral, têm protagonistas vivendo conflitos comuns na adolescência. Como você procura abordar questões diferentes e não ser repetitiva a cada livro?
Isso não é feito propositalmente. É que o universo adolescente tem tantos assuntos inspiradores, que facilita essa diversidade de temas abordados nos livros, sem cair na repetição. Muitos temas também são sugeridos pelos fãs.

De onde você busca referências sobre o universo teen?
As referências estão nas ruas, no cotidiano, nas redes sociais....Eu, como escritora, estou sempre observando os adolescentes, em qualquer lugar.

Quando era adolescente, você sentia falta de uma literatura que falasse sobre temas joviais?
Sentia um pouco, sim. Nessa época, eu li João Ubaldo, Luis Fernando Veríssimo, Fernando Sabino… Eles são meus musos inspiradores, adoro tudo deles.

Como é sua relação com seus leitores?
É uma relação ótima. Tenho muitos fãs que me acompanham há anos. Hoje são pais e continuam me lendo, e até levam os filhos pra me ver. Tenho muito contato com eles por email também, recebo cada um mais lindo que o outro.

Como surgiram os convites para transformar seus livros em filmes? Como está a expectativa para a estreia do filme É Fada?
Os convites partiram de diretores e donos de produtoras que leram os livros e pensaram em transformá-los em filmes. A expectativa pra É Fada e para todos os outros é enorme, ainda mais em se tratando de cinema no Brasil.

O que os pernambucanos podem esperar da sua passagem por aqui?
Adoro ir a Pernambuco. Sou sempre muito bem recebida. Tenho leitores que me acompanham há muito tempo por aí e que sempre vão me ver. Tenho certeza de que será lindo.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.