• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Música Noite recifense fica mais animada durante a semana com shows e projetos musicais Iniciativas como o Sonido Projeto e a Terça do Vinil visam transformar o happy hour em momento para apreciação da cultura local

Por: Luiza Maia - Diario de Pernambuco

Publicado em: 25/05/2015 10:15 Atualizado em: 25/05/2015 15:43


Terça do Vinil movimenta o largo de Santa Cruz, na Boa Vista. Crédito: DJ 440/Divulgação
Terça do Vinil movimenta o largo de Santa Cruz, na Boa Vista. Crédito: DJ 440/Divulgação

Quando criou a Terça do Vinil, Juniani Marzani, mais conhecido como DJ 440, era tachado de louco. “Primeiro, por colocar um monte de disco velho, como diziam, na rua. Depois, e principalmente, pelo dia. Era estranho na época, as pessoas não tinham o costume de sair na terça”, recorda. Inicialmente acompanhada por pouco mais de 30 pessoas, no Xinxim da Baiana, em Olinda, a festa cresceu e foi hospedada em outros lugares. Atualmente, congrega até 500 no Pátio de Santa Cruz, no Lisbela e os Prisioneiros Bar.

Clique e confira o roteiro de shows do Divirta-se

Aos poucos, a Terça do Vinil perde status de exclusiva. Nos últimos meses, pelo menos quatro projetos realizados em dias de semana – com a proposta de transformar em festa o antes singelo happy hour – foram criados ou retomados.

Nos arredores do Lisbela, devido à receptividade positiva, a Hellcife Texas, realizada quinzenalmente, no rooftop do Texas Café Bar, será intercalada com outro projeto, com estreia prevista para junho. “Quando rolam as outras festas, o público aqui melhora”, assegura o sócio Tiago Escobar. O after, conta ele, é no Lesbian Bar, realizado às quartas e sábados. “Tem surgido o hábito de festas mais cedo. Antes, era sempre depois das 21h, mas a galera trabalha no outro dia. Se dá para ir direto do trabalho, fica mais viável”, analisa, sobre a popularização dos eventos.

O próprio DJ 440 lamenta não poder conferir o Sonido Projeto, dedicado à música do estado, de Leo Antunes, realizado também às terças. “Não vou dizer que é um movimento, porque não existe conexão direta. Mas existe  um momento histórico. Podemos dizer que os produtores e bandas estão querendo sair das suas caixinhas”, acredita o organizador, em tom de comemoração.

Antes da estreia do Sonido, Leo analisou iniciativas semelhantes na Europa, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Com apenas dois meses da criação, já negocia até convidados internacionais. No mesmo local, o músico e produtor Raphael Costa fez ressurgir em janeiro a Casa de Seu Jorge, antes sediada em uma mimosa construção alugada no Rosarinho – vendida em 2013.

Sonido Projeto, na Creperia Rouge, é dedicado à música autoral. Crédito: Divulgação
Sonido Projeto, na Creperia Rouge, é dedicado à música autoral. Crédito: Divulgação

O novato Cena Nova ocupa nesta quinta (28), pela segunda vez, a Galeria Castro Alves. Ainda sem periodicidade definida, o projeto vai estrear também no Burburinho, às quartas, no dia 3 de junho, com Cátia de França. “Na verdade, é um conceito. Surgiu de um diálogo com outros produtores, por perceber que é preciso criar uma cena independente, para deixar de ser refém da programação do governo”, justifica o curador Gabriel Patriota. Vai “disputar” com o Palafa Clube, criado em abril e dedicado à música, artes plásticas, moda, literatura e gastronomia.

O circuito de apresentações musicais em pequenas casas independe de incentivos públicos, em parceria com os proprietários dos pubs, bares, restaurantes ou centros culturais, que cedem os espaços e lucram com o público atraído. Os estilos são variados, desde o sertanejo, gênero mais executado nas rádios brasileiras, em lugares como a Cachaçaria Tradição, no Espinheiro, até bandas alternativas da cena local. Os cachês e são custeados com os ingressos, que variam de R$ 10 a R$ 30.

Apesar da multiplicação das ofertas, atrações antigas não amargam queda de procura. “É bom demais ter outros locais. Não considero concorrência. A ideia é fazer as pessoas se acostumarem a sair durante a semana, ver bandas”, diz Elpídio Diniz, do Burburinho. Há público para todo mundo, e cada vez maior.

Programe-se! Confira a agenda desta semana:

SEGUNDA

Recife Blues Sessions, às 21h, na Creperia Rouge (Praça de Casa Forte, 570). R$ 10 (até 22h) e R$ 15 (após 22h). Telefone: 3224 5854.

TERÇA

 (Foto: Moa Torres/Divulgação)
Samba de Varanda, no Bar do Neno, às 19h. R$ 8. Telefone: 3441-4141.

Sonido, com Igor de Carvalho (foto), na Creperia Rouge. R$ 15.

Terça do Vinil, com DJ 440, no Lisbela e os Prisioneiros Bar (Largo de Santa Cruz, 438). Couvert: R$ 5. Telefone: 3423-7648.

Two Rock, com Tomaz Furtado e Jô Pinto (pop rock), às 20h30, no Canela Gastrobar (Rua Caio Pereira, 100, Rosarinho). R$ 7. Telefone: 3241-5604.

QUARTA

Casa de Seu Jorge, com Macamba, às 22h, na Creperia Rouge. R$ 20.
Hellcife Texas, com Hellcife Sound System e convidados e arte ao vivo, às 19h, no Texas Café Bar (Rua do Rosário, 163, Boa Vista). Gratuito. Telefone: 3031-9274.

Cospe Fogo, às 21h, no Burburinho Rua Tomazina, 106, Recife Antigo). R$ 10 (revertido em consumação). Telefone: 3224 5854.

Lesbian Bar, com DJs convidados, às 21h, na Rua de Santa Cruz, 84, Boa Vista. R$ 10. Gratuito até 23h. Telefone: 9152-0070.

Quarta Acústica, com Junior Correia e convidados, no Quiosque Chopp Brahma (Rua Conselheiro Portela, 374, Espinheiro). R$ 15. Telefone: 3048-7998.

QUINTA

Barchef (Av. Dezessete de Agosto, 1893, Casa Forte), com Romero B e Knuckles, às 20h. Gratuito. Telefone: 3204-8500.

Beatles de Quinta, com Fab4 (cover dos Beatles), às 21h, no Canela Gastrobar (Rua Caio Pereira, 100, Rosarinho). R$ 15. Telefone: 3241-5604.

 (Foto: André Ferreira/Divulgação)
Cena Nova, com Serrapilheira (foto) e Graxa, às 21h, na Galeria Café Castro Alves (Rua do Lima, 280, Santo Amaro). R$ 15. Telefone: 9164-2388.

Chivas Blues Night, com Vintage Pepper e DJ Mostarda, às 20h. Downtown Píer (Armazém 13, Bairro do Recife). R$. Telefone: 3424-6167.

Jazz And Other Sounds, no Burburinho (Rua Tomazina, 106, Recife Antigo), às 21h. R$ 10 (revertido em consumação). Telefone: 3224 5854.

Palafa Clube #7, na Rua Afonso Batista, 245, Espinheiro. R$ 10. Com Leo Lira Trio e mostra de Luis Ribeiro. Fone: 9311-3307.

Papaninfas e Instinto Soul, no Loft (Praça de Casa Forte, 661). R$ 20. Telefone: 3268-0033.

Quintas Tradição, com Beto do Violão e Helton Lima, na Cachaçaria Tradição (Rua Amélia, 422). R$ 30 (homem) e R$ 20 (mulher). Telefone: 3243-5050.

Quinteto Sala de Reboco, com Assisão, Petrúcio Amorim, Waldonis e Chinelo Velho na Sala de Reboco (Rua Gregório Júnior, 264, Cordeiro), às 21h. R$ 20. Telefone: 3228-7052.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.