• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Interior Caiporas tomam as ruas de Pesqueira há 53 anos Os encapuzados de paletó foram criados por João Justino de Melo, que faleceu em 2008

Publicado em: 11/02/2015 15:07 Atualizado em: 11/02/2015 17:07

 
Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press/Arquivo
Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press/Arquivo
 
Se em Bezerros, no Agreste de Pernambuco, o carnaval ficou conhecido pela presença dos mascarados Papangus, em Pesqueira, a 215 quilômetros do Recife, quem brilha são os caiporas.
 
Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press/Arquivo
Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press/Arquivo

Com fantasias que se caracterizam pelo uso de paletó, camisa de manga comprida e calças, além de um saco de estopa na cabeça, como máscara, os caiporas saem pelas ruas da cidade há 53 anos. Eles tomam conta de Pesqueira ao som do frevo-hino: “No carnaval dos Caiporas eu vou me esbaldar. Não vejo, não vejo à hora do frevo começar...”.
 
Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press/Arquivo
Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press/Arquivo

Os caiporas foram criados por João Justino de Melo, quye faleceu em 2008. Mas sua viúva, que é a presidente e mestre do bloco, Helena Rodrigues de Melo, seguiu com a tradição. De acordo com a lenda popular, os caiporas eram criaturas noturnas que assustavam os caçadores à noite. Para que ficassem calmas, era preciso colocar cachaça e fumo nos troncos das árvores. Hoje, o que era história de terror se transformou em diversão.
 
Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press/Arquivo
Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press/Arquivo
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.