PERNAMBUCO Vias bloqueadas na manhã desta sexta em função da greve geral contra a Previdência

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 14/06/2019 08:50 Atualizado em: 14/06/2019 09:36

A BR 232, em Jaboatão dos Guararapes, sendo liberada pela PRF. Foto: Divulgação/PRF
A BR 232, em Jaboatão dos Guararapes, sendo liberada pela PRF. Foto: Divulgação/PRF

Pelo menos três rodovias que cortam Pernambuco estão bloqueadas para passagem de veículos em função dos protestos da greve geral contra a reforma da Previdência. A BR 104, em Caruaru, está com boqueio nas imediações do quilômetro 43. Em Agrestina, no Agreste do estado, a BR 104 tem outro bloqueio, nas imediações do quilômetro 82. Já a BR 101, em Goiana, está com bloqueio nas proximidades do quilômetro 05. Na via, o trânsito segue com uma faixa liberada em cada sentido. 

A manhã desta sexta-feira (14) amanheceu com outros bloqueios, mas algumas vias já foram liberadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Caso das vias BR 232, no quilômetro 16, em Jaboatão dos Guararapes; da BR 101, no quilômetro 47,5, em Igarassu; da BR 232, no quilÔmetro 144,5, em São Caetano; da BR 232, no quilômetro 76, em Gravatá; da BR 232, no quilômetro 219, em Pesqueira. Em Igarassu, na BR-101, manifestantes bloquearam os dois sentidos da via desde a madrugada, despejando entulhos na pista. Por volta das 7h, a Polícia Rodoviária Federal liberou a via.


Segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas indústrias de petróleo de Pernambuco e Paraíba (Sindipetro PE/PB), a categoria aderiu completamente à paralisação. Na Reginaria Abreu e Lima, no Litoral Sul, o sindicato contabilizou 100% de adesão do Turno e 80% de adesão do administrativo. O grupo sairá em passeata, às 14h, na Avenida Guararapes, no Centro do Recife. 
Manifestantes bloquearam via em Goiana com fogo pela manhã. Foto: Divulgação/PRF
Manifestantes bloquearam via em Goiana com fogo pela manhã. Foto: Divulgação/PRF

A paralisação nacional conta com trabalhadores de diversas categorias como bancários, professores, metalúrgicos, químicos, portuários, trabalhadores rurais, agricultores familiares, metroviários, motoristas, cobradores, caminhoneiros, trabalhadores da Educação, da saúde, de água e esgoto, dos Correios, da Justiça Federal, urbanitários, petroleiros, enfermeiros, vigilantes, servidores públicos federais, estaduais e municipais, dentre outros, decidiram pela paralisação em assembleias.
 
Trator retira entulhos despejados na pista pelos manifestantes. Foto: Divulgação/PRF
Trator retira entulhos despejados na pista pelos manifestantes. Foto: Divulgação/PRF
 
Diversas categorias anunciaram adesão à paralisação nacional. De acordo com organizadores do ato, a CUT e demais centrais sindicais - CTB, Força Sindical, CGTB, CSB, UGT, Nova Central, CSP- Conlutas e Intersindical, mais de 20 categorias irão cruzar os braços. Os professores das universidades Federal de Pernambuco (UFPE), Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) também vão parar as atividades. De acordo com a Associação dos Docentes da UFPE (Adufepe), haverá atos envolvendo a comunidade acadêmica da universidade no Recife e em Caruaru, Agreste do estado. Na capital pernambucana, o ato está marcado para as 14h, no cruzamento da Avenida Guararapes com a Rua do Sol. Em Caruaru, a manifestação acontece desde as 8h, em frente ao Grande Hotel. 
 
SAIBA MAIS 
 
 
 
 
 
As escolas pernambucanas também devem ficar esvaziadas nesta sexta. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) convocou os professores da rede estadual de ensino a participarem da Greve Geral. O Sindicato Municipal dos Profissionais de Ensino da Rede Oficial de Recife (Simpere) também vai participar do ato.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.