Greve geral Metrô do Recife deve parar na sexta-feira Decisão foi tomada pelos metroviários pernambucanos em assembleia. A paralisação é contra a reforma da Previdência

Publicado em: 11/06/2019 19:20 Atualizado em: 11/06/2019 19:40

Foto: Malu Cavalcanti/Arquivo DP
Foto: Malu Cavalcanti/Arquivo DP
Os metroviários pernambucanos decidiram aderir à greve geral convocada pelas centrais sindicais e movimentos populares para a próxima sexta-feira (14) em todo o país. A decisão foi tomada em assembleia. A greve é contra a reforma da Previdência apresentada pelo governo Federal e em tramitação no Câmara dos Deputados.

Com a decisão, as duas linhas do Metrô do Recife devem parar por 24 horas, começando à meia-noite da quinta-feira. As linhas Centro, que liga a capital aos centros de Jaboatão dos Guararapes e de Camaragibe, e Sul, que une a capital ao bairro de Cajueiro Seco, em Jaboatão, transportam cerca de 450 mil pessoas por dia.

Os rodoviários, categoria que conta com os motoristas e cobradores de ônibus da Região Metropolitana do Recife, ainda não anunciaram se vão aderir. O anúncio deve ser feito nesta quarta-feira em entrevista coletiva, na qual as centrais sindicais e sindicatos, incluindo o dos rodoviários e metroviários, vão falar da paralisação.

O ponto alto da greve geral deverá ser o ato público programado para a tarde da sexta-feira. A concentração será na Rua do Sol, bairro de Santo Antônio. A proposta dos organizadores é reunir, assim como as manifestações contra os cortes nas universidades e institutos federais, representantes de vários segmentos da sociedade.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.