Carbono Zero Projeto proíbe carros à combustão em Noronha e incentiva entrada de carros elétricos

Publicado em: 06/06/2019 17:18 Atualizado em:

Foto: Divulgação.
Foto: Divulgação.
Até 2030, deverá será zerada a emissão de carbono no arquipélago de Fernando de Noronha. Pelo menos esse é o objetivo do governo e da administração da ilha e a implantação do Projeto Noronha Carbono Zero será feita por etapas. A partir do dia 10 de agosto de 2022, será proibida a entrada de veículos que liberam dióxido de carbono. O decreto foi assinado na tarde desta quarta-feira (05) pelo governador Paulo Câmara e será enviado para análise e aprovação na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). No próximo sábado (08), a administração da ilha também publicará um decreto-lei que proíbe a circulação de veículos à combustão e disciplina o ingresso, permanência e saída de carros elétricos do arquipélago. 

Mas de 2030 em diante todos os veículos movidos a gasolina, álcool e óleo diesel deverão sair da ilha. “A agenda ambiental tem que ser uma prioridade em todos os países, em todos os estados. Ficamos felizes em decidir iniciar essa opção sustentável por Fernando de Noronha, um local paradisíaco, que tem todo um simbolismo nessa questão ambiental. Temos certeza que essa iniciativa vai se espalhar pelo Nordeste e para o restante do Brasil”, afirma o governador Paulo Câmara. 

A vedação não se aplicará às embarcações, aeronaves, tratores e outros veículos automotores assemelhados, destinados a puxar ou arrastar maquinaria, executar trabalhos de construção ou de pavimentação, serviços portuários e aeroportuários. 

Por conta das normas, a administração firmou parceria com a Renault Brasil para a implantação dos carros elétricos na ilha. O contrato será assinado no sábado, dia da publicação do Decreto-Lei no Diário Oficial, em cerimônia no Restaurante Mergulhão, com a presença de executivos da Renault do Brasil e representantes da Administração de Fernando de Noronha. 

Nesse primeiro momento, a administração vai conceder 130 autorizações ecológicas para quem quiser obter um veículo nas especificações ambientalmente corretas. Sendo 100 para pessoas físicas e 30 para pessoas jurídicas. Os critérios para liberação das autorizações estarão no decreto. Os interessados vão ter um prazo de entrega da documentação entre os dias 10 de junho a 10 de julho, no Controle de Veículos e Embarcações (CVE), no Palácio São Miguel. 

Após este período, será divulgada a lista com os nomes contemplados. "O nosso objetivo é zerar a emissão do carbono na ilha até 2030, conforme as premissas do Noronha + 20, que são regidas pela sustentabilidade em diversas áreas da gestão pública. Noronha Carbono Zero, através dos carros elétricos, é apenas o início de novas opções sustentáveis para a mobilidade e a matriz energética da ilha”, diz Guilherme Rocha, Administrador da ilha.

Foram cedidos pela Renault Brasil seis automóveis, de três modelos, Zoe (três), Twizy (dois) Kangoo (um), e quatro carregadores para uso oficial da Administração Distrital em regime de comodato. Os veículos têm autonomia que variam de 100 a 300 quilômetros, dependendo do modelo, com recarga das baterias que duram em média 1h40 para atingir 80% carga total. “Essa é mais uma iniciativa da Renault do Brasil visando trazer soluções de mobilidade sustentável. Para nós é uma honra estarmos presentes em Fernando de Noronha, que é um símbolo de preservação ambiental no Brasil e no mundo”, afirma o presidente da Renault do Brasil, Ricardo Gondo.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.