Arboviroses Brigadas de monitoramento do Aedes aegypti evitam infestação do mosquito no Recife

Por: Mariana Fabrício - Diario de Pernambuco

Publicado em: 06/06/2019 10:17 Atualizado em:

Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas. (Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas.)
Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas.
Diante do aumento de 264% nos casos de dengue em todo o Brasil, com mais de 229 mil pacientes este ano, ações de combate ao Aedes aegypti estão sendo realizadas pela Vigilância Ambiental do Recife para evitar nova epidemia de arboviroses. Com o objetivo de prevenir a infestação do mosquito, foi implantada a primeira brigada de monitoramento em uma escola pública no Recife. Na manhã desta quinta-feira (6), a Escola Municipal Luiz Vaz de Camões, no bairro do Ipsep, na Zona Sul do Recife, recebeu atividades da Secretaria de Saúde (Sesau) com orientações sobre como evitar formação de focos.

Cerca de 20 estudantes do 6° ano irão participar do monitoramento. Desses, três estão dedicados à pesquisa de doenças endêmicas no Recife para uma feira e conhecimentos, que acontece no próximo mês de agosto. Para professora de Ciências, Viviane Barbosa, as atividades despertam a conscientização por parte dos estudantes e de toda a comunidade que integra a escola. "Temos dificuldade em trabalhar na prática as questões das arboviroses por falta de materiais e até mesmo informações corretas. Através desta brigada vamos poder realizar atividades para acompanhar o desenvolvimento do mosquito, entendendo o que a comunidade pode fazer para diminuir a proliferação dos vetores", comentou a docente.

A partir das armadilhas de monitoramento implantadas em diferente pontos da escola, é possível retirar cerca de 1 mil ovos de Aedes aegypti. As armadilhas não se tornam foco do mosquito por conter larvicida biológico. Agentes de saúde ambiental realizam inspeção a cada 15 dias para garantir o funcionamento correto. Já foram implantadas mais de 150 brigadas e 150 ovitrampas, com 760 brigadistas treinados pela Vigilância Ambiental da cidade. Durante as atividades, grupos formados por instituições públicas e privadas capacitadas pela Secretaria de Saúde do Recife atuam na prevenção de dengue, chikungunya e zika.

O gerente de Vigilância Ambiental, Jurandir Almeida, comenta que além das visitas às residências realizadas a cada dois meses, outra estratégia é implantar brigadas em locais que concentram maior número de pessoas que ficam expostas aos riscos, como escolas, empresas e instituições. "Fazemos a inspeção no ambiente, um diagnóstico de risco e apresentamos à comunidade. Então selecionamos os brigadistas e instalamos armadilhas que irão retirar ovos do ambiente. A partir disso conseguimos ter uma mensuração de infestação", explica.

Para solicitar a visitação da Vigilância Ambiental e saber se é possível a instalação de uma brigada contra o Aedes aegypti em residências ou instituições, basta pedir a realização de um diagnóstico de visita, ligando para a Ouvidoria Municipal de Saúde através do telefone 0800 281 1520.

Números
No período entre os dias 30 de dezembro de 2018 a 1° de junho de 2019, foram notificados na cidade do Recife 1.538 casos de arboviroses, sendo 1.295 casos de dengue, 200 de chikungunya e 43 de zika. Dentre estas notificações, foram confirmados 429 casos de dengue, 32 de chikungunya e 4 de zika. Em comparação ao mesmo período do ano anterior, houve uma redução de 9,9% dos casos notificados e de 32,6% dos casos confirmados.

Quanto aos óbitos por arboviroses na capital, foram notificados sete óbitos suspeitos. Destes, três foram descartados para arboviroses e quatro permanecem em investigação. No mesmo período do ano anterior, foram notificados e descartados dois óbitos. Em todo o ano de 2018, 10 óbitos suspeitos de arboviroses foram notificados, sendo nove descartados e um confirmado para dengue.

Em todo o estado de Pernambuco, 76 municípios estão em situação de risco de surto e 86 municípios em situação de alerta. Em todo estado, até a primeira semana deste mês de junho foram confirmados 4.371 casos de dengue, 150 casos de chikungunya e 36 de zika. Em comparação ao mesmo período do ano anterior, houve um aumento de 210,5% de notificações de zika, 83,8% de chikungunya e 85,5% de dengue. Até o dia 1° de junho foram notificados 41 óbitos pelas arboviroses.

Dengue
Notificados: 23.592
Confirmados: 4.371
Descartados: 4.655

Chikungunya
Notificados: 3.229
Confirmados: 150
Descartados: 1.155

Zika
Notificados: 1.779
Confirmados: 36
Descartados: 849

Fonte: Secretaria de Saúde de Pernambuco.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.