NATUREZA Equipe de Jaboatão recebe capacitação no Projeto Tamar

Publicado em: 03/06/2019 16:08 Atualizado em: 03/06/2019 16:23

O objetivo foi capacitar os profissionais com novas técnicas de monitoramento das espécies que chegam às praias. Foto: Divulgação
O objetivo foi capacitar os profissionais com novas técnicas de monitoramento das espécies que chegam às praias. Foto: Divulgação
Desde o início do ano, cerca de 1800 tartarugas marinhas nasceram na orla do Jaboatão dos Guararapes. Além disso, o período de novas desovas já é aguardado para o segundo semestre. Devido a isso, a equipe do Programa Bem Estar Animal, desenvolvido pela Prefeitura do Jaboatão, passou por treinamento com especialistas do Projeto Tamar da Praia de Pipa, no Rio Grande do Norte. O objetivo da parceria entre a gestão municipal e o Tamar foi capacitar os profissionais com novas técnicas de monitoramento das espécies que chegam às praias de Piedade e Candeias.
 
Em Jaboatão, as ações de proteção das tartarugas já vêm sendo realizadas desde 2017, com a instalação de placas de alerta e cercados em torno dos ninhos. A vigilância é feita desde o período da desova até o nascimento dos filhotes, principalmente por ocorrerem numa área urbana do município e com grande presença de banhistas. O Tamar é um projeto conservacionista brasileiro que revolucionou a luta pela preservação de espécies ameaçadas de extinção e que atua na busca pela preservação das tartarugas-marinhas ameaçadas de extinção. “O treinamento possibilitou uma vivência prática muito importante no sentindo de adquirir mais informações sobre o manejo e monitoramento das tartarugas marinhas. Os ensinamentos passados pelos técnicos do Projeto Tamar farão toda a diferença nas nossas atividades nas praias de Jaboatão dos Guararapes. No curso, adquirimos segurança para realizar diversas atividades com o devido preparo e organização", afirmou a coordenadora de Proteção e Defesa Animal da Secretaria Executiva de Meio Ambiente e Gestão Urbana, Salomé Simões.
 
A superintendente de Meio Ambiente do município, Edilene Rodrigues, ressalta que treinamento com a troca de informações sempre faz a diferença, pois amplia os horizontes em relação à metodologia de preservação. " A Fundação Tamar tem bagagem de mais de 35 anos protegendo e atuando de forma direta no crescimento populacional das tartarugas marinhas no Brasil. É importantíssimo ter uma rede com órgãos de excelência que trabalham para a conservação e a pesquisa de animais, como tartarugas, animais silvestres entre outros”, afirmou a gestora.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.