Estacionamento CTTU suspende fiscalização nesta quarta por falta de Zona Azul

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 29/05/2019 08:54 Atualizado em: 29/05/2019 09:09

Foto: Bruna Costa/Esp DP Foto.
 (Foto: Bruna Costa/Esp DP Foto.
)
Foto: Bruna Costa/Esp DP Foto.

A Autarquia de Trânsito e Transporte do Recife (CTTU) informou, através de nota, que os agentes de trânsito foram orientados a não registrarem notificações referentes ao estacionamento irregular nos locais de Zona Azul nesta quarta-feira (29). Desde ontem foi registrado um atraso na entrega dos talões por parte da gráfica contratada, atrasando o reabastecimento dos pontos de vendas autorizados. A expectativa é que todos os pontos de vendas da Zona Azul sejam reabastecidos até quinta-feira (30). De acordo com a CTTU, as demais operações para coibir o estacionamento irregular nas vias públicas continuem sendo realizadas normalmente.

Os talões de Zona Azul sumiram dos tradicionais pontos de venda na área central do Recife desde ontem. Sem a folha, o motorista fica vulnerável à multa por estacionamento irregular no valor de R$ 195,23, perde cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação e poder ter o veículo removido para o depósito.

Com dificuldade para comprar uma folha, a professora Teresa Silva, 43 anos, preferiu não correr risco de ser multada. Colocou o carro em um estacionamento pago. “É melhor pagar R$ 8 por quatro horas do que ser multada em quase R$ 200”, comentou.

Atualmente, o Recife conta com cerca de três mil vagas rotativas, sendo 800 com o tempo de permanência de cinco horas. O tempo máximo de permanência varia entre duas e cinco horas, a depender da sinalização indicativa nos locais. A Zona Azul funciona das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira. Aos sábados, das 8h às 12h. 

Não é a primeira vez que os talões somem no Bairro do Recife. Na primeira quinzena de janeiro de 2017, motoristas tiveram dificuldade para comprar as folhas. Na época, a CTTU informou que falta do material se deu devido ao atraso da impressão por parte de uma empresa terceirizada. A folha, cujo preço unitário era de R$ 1, chegou a ser vendida por um valor cinco vezes maior. Sem uma solução imediata para o problema, o município suspendeu as multas por alguns dias.

Sistema
O vendedor Nilvaldo Gomes, 66 anos, chega a comercializar 150 talões por semana. Cada talão, com 10 folhas, custa R$ 30 e a folha individual sai por R$ 3. “Começou a faltar e o fornecedor avisou que a Prefeitura do Recife vai implantar a Zona Azul eletrônica”, contou ele, que trabalha há 45 anos no Bairro do Recife.

Quanto ao boato de que a prefeitura vai implantar o Zona Azul eletrônico,  a assessoria de comunicação da CTTU informou que o sistema está em fase de estudo, mas há perspectiva que seja implementada em breve. Circula entre os flanelinhas e os vendedores do talão que o novo modelo começaria a funcionar no mês de junho. E alguns cravam o próximo sábado como data certa, mas a CTTU descarta a data.

O Bairro do Recife já contou com um aplicativo de Zona Azul eletrônico, desenvolvido pelo Porto Digital. A ferramenta funcionou até 2015, mas na época não houve interesse do município em comercializar o projeto-piloto. Antes, em 11 de junho de 2008, um decreto do então prefeito João Paulo criou a modalidade adicional de pagamento eletrônico para o sistema. A experiência deveria começar pelo Bairro do Recife e seis meses após a entrada em vigor do decreto.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.