Paulista Junior Matuto anuncia medidas após operação Convescote da Polícia Civil

Publicado em: 28/05/2019 15:51 Atualizado em: 28/05/2019 16:10

Prefeito de Paulista Júnior Matuto aceitou o pedido de demissão do secretário de Políticas Sociais e Esportes do Paulista, Augusto Costa. Crédito Júlio Jacobina/DP
Prefeito de Paulista Júnior Matuto aceitou o pedido de demissão do secretário de Políticas Sociais e Esportes do Paulista, Augusto Costa. Crédito Júlio Jacobina/DP

O prefeito de Paulista, Junior Matuto, informou as medidas tomadas pela gestão, logo após a operação “Convescote”, deflagrada pela Polícia Civil de Pernambuco. O secretário de Políticas Sociais e Esportes do Paulista, Augusto Costa, logo após a operação, entregou o cargo ao prefeito, que acatou a decisão do gestor e o afastou das atividades até que tudo seja esclarecido. 

A pasta agora fica sob a responsabilidade do chefe de Gabinete do prefeito, Francisco Padilha. O novo titular, inclusive, ficará responsável por fazer uma apuração administrativa para colaborar com o trabalho da polícia.

Durante a coletiva, o prefeito decidiu afastar os demais servidores citados nas investigações e acionou o secretário de Administração Alessandro Correia, para prestar esclarecimentos sobre as denuncias que envolvem o processo licitatório da prefeitura e através de inquérito administrativo, investigar o servidor que é subordinado à pasta.

LEIA MAIS:

Operação combate corrupção e afasta cinco pessoas de suas funções públicas

Sobre a funcionária do gabinete que está sendo alvo de investigação, o prefeito afirmou que desconhecia sua relação pessoal com um dos empresários presos por suposta fraude em licitação.

“É de praxe aproveitar as pessoas que colaboraram durante a campanha. Essa servidora foi nossa militante e teve a oportunidade de trabalhar no governo. Mas nós não sabíamos da relação pessoal que ela tinha com o empresário investigado. É bom deixar bem claro que a servidora era responsável por receber as pessoas que batiam a porta da prefeitura à procura de uma oportunidade” frisou o gestor.

Sobre a informação de má qualidade dos alimentos oferecidos nas casas de acolhimentos, o gestor municipal afirmou que estranha esta informação, pois tudo que era manipulado nos equipamentos públicos ligados a gestão, eram fiscalizados.

“Há pouco tempo estivemos reunidos com os conselheiros tutelares e com a equipe da vara da criança e do adolescente, atores que frequentemente estão nessas casas de acolhimento, e nada foi externado por eles. Então fiquei surpreso com esse questionamento acerca da merenda. Agora cabe ao novo secretário apurar a execução desses contratos”, afirmou Matuto.




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.