Convescote Operação combate corrupção e afasta cinco pessoas de suas funções públicas

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 28/05/2019 07:04 Atualizado em: 28/05/2019 09:41

Foto: Divulgação/PCPE. (Foto: Divulgação/PCPE.)
Foto: Divulgação/PCPE.

A Polícia Civil de Pernambuco desencadeou uma operação na manhã desta terça-feira (28), em combate a fraudes em licitações, corrupção passiva e ativa, falsidade ideológica e associação criminosa. Foram expedidos pela Vara Criminal da Comarca de Paulista, cinco mandados de afastamento das funções públicas, dois de prisão e 15 de busca e apreensão domiciliar.

"Os empresários se juntavam para poder direcionar as licitações de gênero alimentícios para locais de acolhimento de idosos e dependentes químicos. O objeto da investigação são dois contratos que totalizam R$ 600 mil. Cinco carros foram apreendidos, mas as investigações estão apenas no início e tem muita coisa que a Polícia Civil vai desvendar no curso da Operação", explicou o delegado Jean Rockfeller.

A investigação identificou que as empresas não entregavam os alimentos, ou forneciam em qualidade inferior ou até mesmo vencidos. Foram presos os empresários Noberto Pessoa Brito e Aluísio Mendes de Araújo. A Polícia Civil pediu o afastamento do secretário José Augusto da Costa da pasta de Políticas da Juventude e Esportes de Paulista e de outras quatro pessoas que não tiveram os nomes revelados.

Esta é a  43ª  Operação de Repressão Qualificada do ano, e foi denominada "Convescote". A investigação começou em janeiro de 2019. Na execução, foram empregados 80 policiais civis de Pernambuco, entre delegados, agentes e escrivães. A ação está sendo coordenada pela Diretoria Integrada Especializada (Diresp). As investigações foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (Dintel).

Os materiais apreendidos pela polícia, assim como os suspeitos serão encaminhados à sede do Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco), localizada no bairro de Tejipió, Zona Oeste do Recife. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.