Educação Pernambucanas vencem o Technovation Challenge na categoria regional

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 27/05/2019 09:37 Atualizado em: 27/05/2019 11:47

O Technovation Challenge é a maior competição mundial para meninas do ensino fundamental e médio no segmento de tecnologia. Foto: Marlon Diego/Divulgação.
O Technovation Challenge é a maior competição mundial para meninas do ensino fundamental e médio no segmento de tecnologia. Foto: Marlon Diego/Divulgação.
As estudantes pernambucanas Júlia Lopes, Maria Eduarda, Cibele Benício e Iale Maria, da Escola Técnica Estadual (ETE) Porto Digital, localizada no Bairro do Recife, venceram o desafio global Technovation Challenge, na categoria Regional, com um aplicativo que conecta mães e pais durante a fase de gestação de seus filhos. O app foi batizado de “Twogether”, uma junção das palavras two ("dois" em inglês) e together ("juntos" também em inglês).

A ferramenta criada pelas estudantes tem o objetivo de ser um facilitador de compartilhamento de informações gestacionais e funcionalidades sincronizadas entre a gestante e o parceiro ou a parceira. Na plataforma, é possível fazer acompanhamento gestacional, checklist e há possibilidade de integração com um acompanhante da gestante. Inicialmente, a solução foi pensada apenas no contexto da competição, mas a equipe viu que existe um nicho de mercado amplo para transformar o app em negócio.

Desafio global

A Technovation Challenge é a maior competição mundial para meninas dos ensinos fundamental e médio no segmento de tecnologia. Desde 2013, a disputa já contou com a participação de mais de 10 mil alunas de todo o mundo, com o objetivo de engajar estudantes do gênero feminino entre 10 e 18 anos para o mercado empreendedor de tecnologia da inovação.

O aplicativo conecta mães e pais durante a fase de gestação de seus filhos. Foto: Marlon Diego/Divulgação.
O aplicativo conecta mães e pais durante a fase de gestação de seus filhos. Foto: Marlon Diego/Divulgação.
As pesquisas para o aplicativo da ETE Porto Digital começaram a partir dos 17 objetivos da Organização das Nações Unidas (ONU), onde foram escolhidos os temas “Igualdade de Gênero” e “Vidas debaixo d’água”. Após as escolhas dos assuntos, o grupo criou um formulário que foi aplicado a uma comunidade. O maior engajamento foi em relação ao tema “Igualdade de Gênero”. Com base no resultado, as estudantes identificaram o desejo de algumas mães em dividir a fase gestacional com o pai da criança ou um familiar por um canal mais prático. O desenvolvimento do app contou com o apoio do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (CESAR).

"É a primeira vez que participamos de uma competição e não imaginávamos que venceríamos. Nosso objetivo é continuar propagando o aplicativo para que ele tenha um impacto diretamente na nossa comunidade", disse Maria Eduarda Barbosa, uma das responsáveis pelo aplicativo.

Apesar de novata na Technovation Challenge, a estudante é veterana em disputas internacionais. A aluna representou a rede municipal do Recife em duas competições mundiais de robótica, na Alemanha e no Japão. A equipe recifense se consagrou a melhor das Américas e ficou entre as oito melhores do mundo na RoboCup de 2017. No ano anterior, ficou atrás apenas da China, Hungria, Japão, Croácia, Estados Unidos, Indonésia e da anfitriã Alemanha.

Destaques

A Escola Técnica Estadual Cícero Dias ficou com o segundo lugar na categoria Regional. Foto: Alyne Pinheiro/Divulgação.
A Escola Técnica Estadual Cícero Dias ficou com o segundo lugar na categoria Regional. Foto: Alyne Pinheiro/Divulgação.
O segundo lugar da categoria Regional da Technovation Challenge também ficou com uma escola pública pernambucana, a Escola Técnica Estadual Cícero Dias (NAVE Recife), localizada em Boa Viagem, Zona Sul do Recife. A escola faz parte do programa do Oi Futuro, uma parceria com as secretarias de Educação dos estados de Pernambuco e Rio de Janeiro. A escola é ainda apoiada pelo CESAR. Na Cícero Dias, uma equipe de alunas - formada por Maria Laura Brito, Maria Julia Castro, Maria Eduarda Pereira, Marcilene Santiago e Maria Poliana da Silva - criou um jogo com o objetivo de ser uma ferramenta facilitadora para a educação sexual de crianças entre 7 e 10 anos.

De acordo com a CESAR School, escola de inovação do CESAR, projetos ligados ao aprendizado tecnológico são desenvolvidos nas instituições com o objetivo de estimular o desenvolvimento de ferramentas digitais no dia a dia dos alunos. "No NAVE, a CESAR School está presente desde 2006 e já impactou mais de 1,4 mil estudantes do primeiro ao terceiro ano do ensino técnico. Na ETE Porto Digital, a instituição atua desde 2018, trabalhando com mais de 280 alunos do primiro e segundo anos do ensino médio", ressaltou a instituição.

Felipe Furtado: CESAR apoia instituições e ajuda na formação de alunos da rede pública. Foto: Shilton Araujo/Esp.DP.
Felipe Furtado: CESAR apoia instituições e ajuda na formação de alunos da rede pública. Foto: Shilton Araujo/Esp.DP.
"Apoiamos não só o conhecimento, mas também a produção de tecnologias dentro das escolas, para que os alunos estejam inseridos na era digital e se sintam estimulados a empreender e a aplicar o aprendizado que recebem em soluções de impacto social", afirmou o diretor-executivo da CESAR School, Felipe Furtado.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.