Educação Projeto de estudante da rede pública de Pernambuco é reconhecido por ONG internacional

Publicado em: 21/05/2019 21:30 Atualizado em: 21/05/2019 21:31

Foto: Luan Torres/Arquivo Pessoal.
Foto: Luan Torres/Arquivo Pessoal.
O estudante Luan Torres de Moraes, 17, da Escola Técnica Estadual (ETE) Governador Eduardo Campos, em São Bento do Una, no Agreste pernambucano, teve um projeto reconhecido pela ONG Ashoka, uma das instituições realizadoras do Movimento de Inovação na Educação.

Inconformado com o descaso da população com o Rio Una, repleto de lixo, o estudante do terceiro ano do ensino médio criou o Centro de Apoio Social e Ambiental (Casa), que tem o intuito de promover projetos voltados para a área socioambiental. “A iniciativa surgiu porque eu quero ver um futuro com menos desastres ambientais, com menos poluição e com pessoas mais consciente”, disse.

O estudante realizou palestras e ações educativas nos bairros e nas escolas do município. No início deste ano, decidiu inscrever o projeto na ONG Ashoka, que está iniciando o programa “Jovens Transformadores”. Os candidatos selecionados têm até 20 anos e desenvolveram propostas para criar mudanças para o bem de todos.

Luan foi reconhecido por ter criado o projeto Arbo para plantar árvores frutíferas com o objetivo de que todos tenham acesso a comida de forma gratuita e orgânica. “Vejo um futuro em que as pessoas tenham comida na esquina”, considerou. Na última sexta-feira (17), o reconhecimento do trabalho foi divulgado pela Ashoka junto com outros nove projetos que geram impacto na sociedade. Agora, o jovem vai receber mentoria com empreendedores sociais e vai ter a oportunidade de desenvolver o projeto em todo o Nordeste.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.