Saúde Três novos espaços Mãe Coruja serão implementados no Recife

Por: Alice de Souza - Diario de Pernambuco

Publicado em: 19/05/2019 10:00 Atualizado em: 17/05/2019 20:29

Crédito: Leandro De Santana/Esp. DP
Crédito: Leandro De Santana/Esp. DP

As dúvidas sobre a gravidez se multiplicam na cabeça da dona de casa Rayanne Silva, 25 anos. Grávida de sete meses do segundo filho, ela vai até o posto de saúde de onde mora para buscar informação pelo menos uma vez por semana. Rayanne aprendeu que pode chegar lá quando precisa por causa do Mãe Coruja. O programa de acolhimento e fortalecimento de vínculos entre mãe, bebê e família do Recife é uma das novidades da Upinha Emocy Krause, na comunidade de Santa Luzia, no bairro da Torre, onde Rayanne mora. Esse é um dos novos três espaços Mãe Coruja da cidade, que serão inaugurados na próxima semana.

Implantado desde 2014 na atenção primária à saúde da capital pernambucana, o Mãe Coruja estava distribuído até então em 10 comunidades. Com o objetivo de realizar ações intersetoriais que promovam o vínculo na maternidade, o programa é uma porta de entrada e de fidelização de muitas gestantes de comunidades carentes da cidade para os serviços de saúde. Até então, foram 10 mil mulheres e 7 mil crianças atendidas. Os três novos espaços serão inaugurados na comunidade Santa Luzia, no Córrego do Euclides e em Brasília Teimosa.

A meta é incorporar as experiências dos anteriores e ampliar o olhar para as mulheres mais vulnerabilizadas das regiões atendidas. Por isso, o perfil dos três novos espaços será diferente. “Precisamos estar de olho no desenvolvimento da criança, e os instrumentos de atendimento na atenção básica ainda são críticos. Queremos fazer o engajamento objetivo e olhar para a família, por isso vamos capacitar as equipes para poder identificar as necessidades especiais delas, verificar como focamos as ações os moradores mais vulneráveis daquele bairro”, explicou o secretário de saúde do Recife, Jailson Correia.

De acordo com ele, nos primeiros 10 espaços Mãe Coruja do Recife, o atendimento era aberto para todos os moradores onde a referida unidade de saúde estava inserida. “Nesses novos espaços, estamos rompendo o próprio limite territorial do bairro e focando nas comunidades onde haja maior vulnerabilidade. Teremos um foco mais cirúrgico na escolha da população acompanhada, para fazer diferença entre os que mais precisam”, detalhou o secretário. A inauguração dos novos espaços será realizada durante a 5ª Semana do Bebê do Recife, que começa na próxima segunda-feira.

Rayanne, porém, já começou a ser atendida. “Sempre que aparece alguma dúvida, eu venho aqui. Venho mais para o Mãe Coruja do que para o médico. Esse é o meu segundo filho, mas o primeiro menino, então fico querendo saber se muda alguma coisa na gestação. Também esqueci de quase tudo em relação à gravidez passada”, contou. Dentro do Mãe Coruja, por exemplo, Rayanne começou a aprender a se preparar para a amamentação. “Só consegui amamentar a minha primeira filha durante 15 dias, porque sentia muita dor. Desta vez, estou aprendendo a fazer a ‘pega’ correta, todos os detalhes”, disse. No Mãe Coruja, as mulheres participam de ciclos de palestras, são acompanhadas no pré-natal e recebem kits de enxoval para o bebê. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.