Decisão Justiça mantém júri popular de acusado de provocar acidente na Tamarineira

Publicado em: 08/05/2019 16:00 Atualizado em: 08/05/2019 16:06

Foto:Eduarda Abelenda/Cortesia
Foto:Eduarda Abelenda/Cortesia

A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) negou o recurso impetrado pela defesa de João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, preso por ter matado três pessoas em um acidente de trânsito no bairro da Tamarineira, em 2017. O recurso pedia a revogação da prisão preventiva do réu, assim como a revogação da decisão de pronúncia, que determina o julgamento por júri popular.

De acordo com a denúncia, João Victor estava embriagado e dirigindo em alta velocidade ao atingir o veículo onde estavam o advogado Miguel Silveira e a família. Na batida, faleceram a advogada Maria Emília Guimarães, 39 anos, o filho dela, Miguel Neto, 3, e a babá Roseane Maria de Brito Souza, 23. Miguel Silveira e a filha, Marcela, sobreviveram ao acidente.

composta pelos desembargadores Cláudio Jean Nogueira Virgínio, Daisy Andrade e Eudes França, a 3ª Câmara negou por unanimidade o recurso impetrado pela defesa. O relator do processo foi o desembargador Cláudio Jean Nogueira Virgínio. O acusado permanece preso no Presídio Juiz Antônio Luiz Lins de Barros (Pjallb), sendo o julgamento realizado por Júri Popular. O processo tramita na 1ª Vara do Tribunal do Júri da Capital. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.