Meio Ambiente Manual elaborado por instituições pernambucanas orienta sobre como descartar resíduos sólidos

Publicado em: 08/05/2019 13:19 Atualizado em: 08/05/2019 13:28

Foto: Nando Chiappetta/DP.
Foto: Nando Chiappetta/DP.
Um manual elaborado pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Semas), Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) e Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) orienta a população sobre locais apropriados e contatos de instituições que atuam no recolhimento e na destinação ambientalmente adequada dos resíduos sólidos no estado. O Manual de destinação: orientação ao consumidor reúne características dos resíduos, cuidados, potencial risco ao meio ambiente e a quem procurar na hora de descarte. A terceira edição do manual, em formato digital, está disponível na internet.

O Centro de Recondicionamento de Computadores do Recife (CRC), localizado no bairro de Dois Irmãos, é um dos locais de Pernambuco que recebe e transforma resíduos eletroeletrônicos como aparelhos de celular, placas, baterias, computadores e utilitários em computadores recondicionados, bengalas e chapéus sonoros, utilizados para facilitar a mobilidade de deficientes visuais. As atividades são desenvolvidas por cerca de 80 jovens carentes do bairrro de Prazeres, Jaboatão dos Guararapes, capacitados pelo centro.

De acordo com o secretrário de Meio Ambiente de Pernambuco, José Bertotti, "a Política Nacional de Resíduos Sólidos prevê o reuso de todos os produtos que inicialmente já cumpriram sua função econômica e social. O reaproveitamento das peças eletrônicas fomenta a economia circular".

A publicação orienta ainda sobre o destino de pilhas e baterias. De acordo com a legislação ambiental, o recolhimento do material pós-consumo é de responsabilidade dos estabelecimentos que comercializam o produto. São 53 locais, entre supermercados, atacados, lojas de equipamentos eletrônicos, além de sindicatos de comércio varejista localizados em nove municípios, como Recife e Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana, além de Garanhuns e Petrolina, no interior do estado.

Para estimular a logística reversa, prevista na lei federal 12.305, de 2010, como "instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada", o manual disponibiliza os contatos das indústrias do setor de alumínio, papel e papelão e de embalagens de vidro, que comercializam os reclicláveis em Pernambuco.

O manual disponibiliza também endereços e telefones de mais de 40 associações e cooperativas de catadores que atuam na coleta seletiva dos municipios das regiões Metropolitana, Agreste e Sertão do estado. A implantação da coleta, com a devida inclusão social dos catadores, assim como a organização e gerenciamento dos resíduos sólidos, é uma atribuição do poder público municipal e está prevista nas Políticas Nacional e Estadual de Resíduos Sólidos.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.