proibição Armazém Centenário é interditado por poluição sonora

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 04/05/2019 14:32 Atualizado em: 04/05/2019 19:00

Foto: Felipe Assis/DP
Foto: Felipe Assis/DP

Na manhã deste sábado (4), após uma sequência de denúncias da população ligadas ao excesso de barulho, o Armazém Centenário, localizado no bairro do Espinheiro, foi autuado cinco vezes e interditado por poluição sonora. Membros da equipe do setor de fiscalização ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade estiveram no local e constataram que o estabelecimento não possui licença para uso de equipamento sonoro tampouco para operação ambiental, o que torna o empreendimento irregular. A Prefeitura do Recife por meio da SMAS informou que, antes da interdição realizada hoje pela manhã, por volta das 11h45, o grupo de inspeção do órgão efetuou diversas tentativas para a regularização do local, porém as determinações não atendidas no prazo estabelecido. 

De acordo com o comunicado emitido pela Prefeitura do Recife, para regularizar a situação, o responsável pelo Armazém Centenário deve comparecer à Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife o quanto antes, para dar entrada nas licenças ambientais pertinentes e adequar as instalações com um tratamento acústico adequado, caso queiram continuar utilizando equipamentos de amplificação sonora, além de, solicitar desinterdição do estabelecimento.
 
Segundo o órgão, o Armazém Centenário foi interditado parcialmente. Isso significa que o estabelecimento poderá abrir normalmente, porém sem utilizar som até a situação ser regularizada na SMAS do Recife, que deve ser procurada pelos responsáveis pelo Armazém para dar entrada nas licenças ambientais pertinentes e adequar as instalações com um tratamento acústico adequado, caso queiram continuar utilizando equipamentos de amplificação sonora, além de, solicitar desinterdição do estabelecimento.
 
 
ORIENTAÇÕES 

A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade esclareceu ainda que, quaisquer atividades potencialmente geradoras de incômodo à vizinhança, tendo o ruído procedente de equipamentos de amplificação sonora devem obter licença, mesmo que a iniciativa seja de pequeno porte ou apenas um evento esporádico.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.