Comemoração Rádio Clube celebra 100 anos de história

Publicado em: 04/05/2019 12:09 Atualizado em:

Evento será no dia 17 de maio, no Clube das Pás, e trará as principais atrações ligadas ao autêntico brega. Foto: Foto: Tarciso Augusto/Esp DP
Evento será no dia 17 de maio, no Clube das Pás, e trará as principais atrações ligadas ao autêntico brega. Foto: Foto: Tarciso Augusto/Esp DP
No dia 6 de abril deste ano, a primeira rádio do Brasil, a Clube de Pernambuco, celebrou seu centenário. E para festejar este veículo que tem o som como meio de chegar a seu público fiel, nada mais adequado do que música. No dia 17 de maio, no Clube das Pás, das 17h às 21h, será realizado o show comemorativo ao aniversário da Rádio com apresentações da Orquestra das Pás e de vários artistas que compõem a cena brega pernambucana. Os ingressos custam R$ 30 e estão à venda na bilheteria do Clube e na loja Lupo do Shopping Tacaruna. Amigas do Brega, Raízes do Brega, Conde Só Brega, Condinho e Banda Camelô são as atrações do evento que celebra as dez décadas desde que aconteceu a primeira transmissão da Rádio Clube. Na verdade, da primeira rádio do país. 

Segundo Álvaro Melo, diretor executivo do Clube das Pás, local onde acontecerá o evento, o público pode esperar uma verdadeira festa do século. Entre as atrações, um dos destaques é o grupo a Amigas do Brega, idealizado no começo de 2018 por Palas Pinho (banda Ovelha Negra, do sucesso Amor de Rapariga), que convidou as cantoras Dayanne Henrique (Frutos do Amor, do hit Meu diário), Dany Myler (Banda Lolyta) e Eliza Mell (Brega.com, responsável por Ânsia) - esta última substituindo Isa Falcão. “Temos, ainda, a Orquestra do Clube das Pás, que existe há mais de 30 anos e toca do clássico ao bolero. 

Haverá, também, o tradicional momento do corte do bolo. Enfim, uma festa que já está tendo muita procura e que oferecerá toda a segurança, com bombeiros e ambulância com socorrista à disposição. As expectativas são as melhores possíveis e, para nós, esta parceria é muito importante”, afirma Álvaro. A Rádio Clube foi fundada no dia 6 de abril de 1919. Esta foi a data em que um grupo de amadores da tele- grafia sem fio, liderados por Augusto Joaquim Pereira, estavam obstinados a aperfeiçoar as transmissões e tornaram-se precursores do rádio como veículo de comunicação. 

A festa é patrocinada pela Lojas Tropical, Bem-Te-Vi, GA  e Veneza Material de Construção. O Conde Só Brega, que estará junto com Condinho e Banda Camelô. Foto:  Foto: Edvaldo Rodrigues/DP/D.a Press.
A festa é patrocinada pela Lojas Tropical, Bem-Te-Vi, GA e Veneza Material de Construção. O Conde Só Brega, que estará junto com Condinho e Banda Camelô. Foto: Foto: Edvaldo Rodrigues/DP/D.a Press.
Feito comprovado por documentos oficiais e publicações em jornais da época. Léo Gangana, diretor da Rádio Clube, fala sobre a importância da comemoração de um veículo que esteve presente em alguns dos mais importantes fatos da história moderna do país. “Não poderíamos deixar que esta data passasse em branco. A Rádio Clube esteve em fatos como o governo Getúlio Vargas, a construção de Brasília, as Diretas Já, o impeachment de um presidente. Dela, fizeram parte funcionários que se tornaram figuras públicas de grande importância para o Brasil como os saudosos Chacrinha e Chico Anysio. Este último chegou a ser diretor da Rádio no final dos anos 50 e início dos 60, cargo que ocupo agora”, relata.

Para Alexandre Rands, presidente do Grupo R2, do qual a Rádio Clube faz parte, a emissora é orgulho e patrimônio de Pernambuco. “Como sempre, exemplo de mais um caso em que nosso estado sai na frente do resto do Brasil já que é a primeira rádio, a mais antiga a operar no país. Temos a enorme satisfação de mantê-la ainda hoje”, destacou.

Dentre funcionários e parceiros, atualmente a Rádio Clube possui um quadro de 30 a 40 integrantes. Pessoas que fazem parte da rotina de ouvintes apaixonados e fiéis, a exemplo de Ana Néri da Silva, 58, empregada doméstica. Natural de Campina Grande, na Paraíba, ela veio para o Recife em março de 1985. Dois anos depois, passou a ser ouvinte assídua. “Adoro a programação, principalmente as partes de músicas, notícias e entrevistas. Começo a escutar quando chego em casa após o trabalho, a partir das 20h30, e fico assim até por volta da 0h”, conta.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.