RELIGIÃO Festa de Nossa Senhora dos Prazeres termina com missa, procissão e grande público

Por: Patrícia Monteiro

Publicado em: 29/04/2019 22:13 Atualizado em: 29/04/2019 22:34

Arcebispo Dom Fernando Saburido presidiu as celebrações. Foto: Bruna Costa / Esp. DP Foto
Arcebispo Dom Fernando Saburido presidiu as celebrações. Foto: Bruna Costa / Esp. DP Foto

Devoção, entrega, fé. Sentimentos comuns à grande quantidade de fiéis que compareceu ao evento de encerramento da festa de Nossa Senhora dos Prazeres, nesta segunda (29), no Santuário do Parque Histórico Nacional dos Guararapes, Jaboatão dos Guararapes. O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, celebrou a missa de encerramento, que foi seguida por procissão e Bênção do Santíssimo, também presidida pelo arcebispo. Logo depois, o palco do polo artístico foi tomado pelos cantores Irah Caldeira e Nádia Maia, além de Rogério Som, Petrúcio Amorim e Pecinho. Segundo a administração municipal, cerca de 300 mil pessoas estiveram presentes ao longo dos nove dias de festa, iniciada no Domingo de Páscoa. Apenas na procissão, eram esperados cerca de 100 mil devotos.

Segundo o arcebispo Dom Fernando Saburido, a beleza da festa relaciona-se à alegria de Nossa Senhora pela ressurreição de Jesus. “De modo que é uma celebração diferente da de Nossa Senhora das Dores: é alegria porque o Cristo ressucitou. E, assim Maria nos garante que todos nós ressucitaremos também. As pessoas vem aqui com muita piedade, devoção e Maria cumpre sempre aquele papel bonito de ser mãe”, afirmou. Este ano, a festa teve um diferencial. “Temos escutado que foi um evento muito bonito, que tem crescido a cada ano. Dessa vez, com algo mais: foi levada, em procissão, a imagem original da Santa que ficava sempre no santuário, saindo pela primeira vez às ruas de Jaboatão”, revelou.

Um atrativo a mais para fieis que já acompanham o cortejo há várias décadas. Eliane Pereira da Silva, doméstica, 57 anos, é exemplo de devoção antiga. “Para mim, do jeito que sair, a acompanho há 40 anos, com ou sem flores. Minha fé aumentou ainda mais quando minha filha, aos dois anos de idade, teve um infarto. Na ocasião, me ajoelhei e pedi que Nossa Senhora a trouxesse de volta. Hoje, ela está com 30 anos. Por isso, prometi que viria aqui enquanto fosse viva. Em todas os lugares onde trabalhei, sempre dizia: no dia da festa de Nossa Senhora, não trabalho pois é dedicado a ela”, relatou.

Aílton José de Oliveira, 56, autônomo, por sua vez, é frequentador da festa desde criança. “Moro em Prazeres e todo ano estou aqui. Este ano, está tudo mais bonito. Para tudo o que preciso, peço primeiramente a Deus, depois a Nossa Senhora dos Prazeres. E sempre, assim como minha família, alcancei as graças solicitadas”, informou. 

Maria do Carmo Gomes da Silva, 76, é outra devota fiel. Conta que também já foi muito agraciada pela santa. “Tenho uma neta com epilepsia que vivia doente. Um dia, fiz a promessa de vestí-la com trajes de mortalha, a trouxe aqui e ela ficou boa. Há mais de cinco anos, não tem uma crise. Considero o que aconteceu um verdadeiro milagre”, celebrou. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.