Águas Finas Assaltantes roubaram arsenal de empresário para cometer outros crimes Um dos suspeitos que está preso, Luciano Josuel, foi até o Parque Aquático Águas Finas, no último domingo, como visitante acompanhado da família

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 26/04/2019 11:45 Atualizado em: 26/04/2019 14:48

Foto: Leandro de Santana/Esp.DPFoto. (Foto: Leandro de Santana/Esp.DPFoto.)
Foto: Leandro de Santana/Esp.DPFoto.
A principal linha de investigação da Polícia Civil sobre o crime que resultou na morte do empresário Mário Cavalcanti Gouveia, 78 anos, no último dia 23, quando 15 homens invadiram o Parque Águas Finas, de propriedade da vítima, tenha sido material, já que os assaltantes foram atraídos pela coleção de armas que Mário mantinha em casa.  O idoso foi morto a tiros em sua residência, localizada no quilômetro 17 da Estrada de Aldeia, no município de Paudalho, Mata Norte do estado, onde também funciona o parque aquático, ao reagir ao assalto e trocar tiros com os bandidos. 

De acordo com a delegada Euricélia Nogueira, que investiga o caso, as armas roubadas seriam utilizadas na prática de outros crimes. O trabalho da polícia até agora se concentrou na busca de armas e suspeitos que moram na localidade. Foram presos na última quarta-feira (24), Luciano Josuel de Santana, 38, Cicero Romão Henrique da Silva Pino, 37, Leonardo do Nascimento Silva, 24, e Rodrigo Gomes da Silva, 24. Todos foram autuados pelos crimes de homicídio, latrocínio, organização criminosa, tráfico de drogas e associação para o tráfico. Outros dez ainda precisam ser localizados. Segundo a polícia, o grupo pode ser maior do que os 15 homens que invadiram a mansão, com membros em várias localidades do estado, e com liderança de presidiários.

Dois dos suspeitos, Luciano Josuel e Cícero Romão conheciam a vítima e prestavam serviço de segurança nas redondezas. Luciano, inclusive, foi até o parque aquático Águas Finas no último domingo (21), como visitante acompanhado da família. Para a polícia, ele levantou informações que serviriam para o assalto. "A gente já sabia que eles tinham esse conhecimento e iriam utilizá-lo para passar informações para fazer o crime. Luciano é o líder desses que já foram presos e o grupo é grande. Já temos um depoimento de uma pessoa que diz ter sido vítima desse mesmo grupo, então é provável que eles tenham feito essas ações em vários outros locais", afirmou Euricélia.

Leia mais:


Segundo a delegada, a residência de Mário Gouveia já havia sido assaltado outras duas vezes, uma em que ele conseguiu se defender com segurança particular e outra em que não estava em casa. Por terem conhecimento de que o idoso era atirador e tinham vigias em sua propriedade, os assaltantes organizaram a ação durante 30 dias e foram em um grupo com 15 homens com armas de grande porte. A principal linha de investigação da Polícia Civil é de que o interesse foi material, mas a delegada não descarta que também exista alguma motivação pessoal envolvida.

"A linha mais firme é de que eles foram atrás de armas e há informação de que foram subtraídos valores, mas ainda é preciso confirmar com os familiares da vítima. Nada pode ser descartado nesse início de investigação, de que algum desses participantes tenham uma motivação pessoal para aproveitar o momento do assalto e subtrair a vida dele", informou. Euricélia.

Foto: Leandro de Santana/Esp.DPFoto. (Foto: Leandro de Santana/Esp.DPFoto.)
Foto: Leandro de Santana/Esp.DPFoto.
O revólver .45 apreendido na última quarta-feira (24) pela polícia em uma granja no distrito de Chã de Cruz, em Paudalho, pertencia ao empresário e foi utilizada durante a reação ao assalto. Na troca de tiros, Mário Gouveia chegou a atingir Wallace Everton Lemos da Silva, que morreu na madrugada da última quarta-feira (24), no Hospital Otávio de Freitas, onde foi socorrido. Ainda foram capturados pela polícia uma espingarda .12, metralhadora calibre 9mm, pistola .380, revólver 38, 5 munições de calibre 12, 37 munições de calibre 9mm, 16 munições de 380 e quatro carregadores. Na residência do idoso foram encontrados projéteis de todas as armas apreendidas.

Os assaltantes deixaram pistas com materiais genéticos, tanto na propriedade do idoso, como nos carros localizados na última terça-feira (23), no bairro do cordeiro e no município de Paudalho. Um dos suspeitos deixou uma touca ninja na casa, também há manchas de sangue no chão e na parede que não são de Mário Gouveia e irão colaborar na identificação dos suspeitos que estão na mira da polícia. Até o momento, a delegada não teve acesso às perícias realizadas pelo Instituto de Criminalística.

"Foi encontrado material genético e projéteis na casa e nos carros. Nesse momento estamos fazendo a perícia de confronto com o material balístico encontrado na casa com todas as armas que foram apreendidas até o momento. Temos o início de uma investigação em que pretendemos identificar todos os envolvidos nesse grupo. Vou ouvir todos os familiares para confirmar informações", disse Euricélia.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.