DHPP Dono de carro que pode ser sido usado no latrocínio em Águas Finas presta depoimento

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 24/04/2019 12:50 Atualizado em:

Latrocínio ocorreu na Estrada de Aldeia, no município de Paudalho. 
Foto: Leandro de Santana/Esp. DP Foto. (Latrocínio ocorreu na Estrada de Aldeia, no município de Paudalho. 
Foto: Leandro de Santana/Esp. DP Foto.)
Latrocínio ocorreu na Estrada de Aldeia, no município de Paudalho. Foto: Leandro de Santana/Esp. DP Foto.
O dono do carro roubado e que, possivelmente, foi utilizado no assalto que terminou com a morte do empresário Mario Cavalcanti Gouveia Junior, 78 anos, compareceu ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para prestar depoimento. O crime ocorreu no município de Paudalho, na madrugada da última terça-feira (23), onde fica localizada a residência de Mário Gouveia. Horas após o latrocínio, um carro de modelo Fiat Toro foi encontrado na Rua São Bento do Norte, no bairro do Cordeiro, Zona Oeste do Recife.

O veículo que pertence ao comerciante Luciano Henrique da Silva, apareceu com manchas de sangue, cápsulas de fuzil deflagradas na parte interna e com o banco do motorista em chamas. Segundo Luciano detalhou em depoimento no DHPP, o roubo do carro ocorreu por volta das 17h35, no município de Santa Maria do Cambucá, no Agreste de Pernambuco, na última segunda-feira (22).

Ele conta que foi abordado por três assaltantes que chegaram em um carro de modelo EcoSport na cor branca portando revólveres. Diferente do que ocorreu durante a invasão à casa do empresário, em que os assaltantes utilizavam toucas ninjas, na abordagem ao comerciante, os suspeitos estavam sem capuz. Durante o assalto, eles pediram que o comerciante permanecesse de cabeça baixa para que não fosse possível reconhecê-los e, por esse motivo, a vítima diz não ser possível colaborar com a elaboração de um retrato falado. 

Leia mais:


"Estava indo comprar água mineral e quando parei em frente à loja fui abordado. Pediram que eu descesse do carro, minha esposa ficou dentro e eu pedi que ela também saísse. Ela desceu do carro, ninguém se machucou. Eles não falaram nada. Só pediram para descer do carro que ninguém iria se machucar. Desci, entreguei o carro e foram embora", comentou.

A esposa de Luciano passou mal após o susto e os dois foram até um pronto-socorro. "Nesse meio tempo a polícia já foi atrás dos suspeitos, mas eles entraram em uma estrada da Zona Rural que ficava difícil saber por onde eles tinha ido. A Polícia ainda vasculhou a área e infelizmente não conseguiu encontrar", relatou. 

De acordo com o comerciante, o veículo possui seguro e será recuperado. Para ele, que lamenta a morte do empresário, os danos foram apenas materiais. "Fico muito triste. A gente lamenta porque aconteceu com uma pessoa muito querida por todos e infelizmente acabamos envolvidos nessa história", disse.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.