Crime Bebê levado do Imip é localizado pela polícia e entregue à mãe

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 22/04/2019 06:53 Atualizado em: 22/04/2019 17:06

Foto: Júlio Jacobina/arquivo DP
Foto: Júlio Jacobina/arquivo DP
O bebê de 14 dias levado do Imip, nos Coelhos, no último sábado (20), foi localizado pela Polícia Civil na noite do domingo (21). A suspeita de levar a criança é Eliane Antônia de Oliveira, 47 anos. Ela identificou-se como avó da criança para levar o bebê de dentro da unidade. O bebê nasceu no dia 7 deste mês, e foi retirado da unidade hospitalar nesse sábado (20). A mãe denunciou o caso na manhã de ontem. O Imip cedeu imagens para ajudar nas buscas.

De acordo com o delegado Cláudio Neto, Eliane Antônia foi à unidade hospitalar para acompanhar uma conhecida que também iria dar à luz. "Ela (Eliane) fingiu ser a avó do recém-nascido raptado para poder entrar na ala especial. Ela estava usando uma pulseira de visitante", relatou Cláudio Neto. Os policiais foram até a enfermaria e conversaram com a mãe e testemunhas que viram Eliane entrando na ala especial.

LEIA MAIS:

'Eu a perdoo', diz mãe de bebê sequestrado no Imip sobre mulher que confessou o crime

Segundo a polícia, a suspeita, que mora em Afogados, relatou que sofre de depressão e estava muito abalada após ter perdido um filho recentemente. Ela confessou que roubou a criança porque não havia superado a morte do filho. "Ela estava muito abalada. Só fazia chorar. Inclusive, nem o marido dela sabia que ela tinha roubado um bebê e teria chegado com a criança em casa", contou o delegado. Eliane escondeu do marido que tinha perdido o filho e disse ao delegado que após presenciar uma pequena briga entre os pais biológicos, achou que o bebê ficaria melhor com ela.  

Após denúncia anônima, a polícia chegou à localização da criança e o levou de volta para o Imip para passar por exames. Ao chegar, a polícia viu na casa dela um quarto de criança já montado. Tanto ela quanto o marido não têm antecendentes criminais.

A suspeita foi autuada em flagrante pelo artigo 237, do Estatuto da Criança e do Adolescente. A pena pode variar de dois a seis anos de reclusão. "Espero que ela possa ter um filho e não faça isso novamente", disse a mãe do bebê raptado, em entrevista para TVs, feliz após reencontrar a criança. 
 
Em nota, o Imip informou que vem tomando várias medidas de proteção aos usuários, e mencionou a quantidade de pessoas que circulam diariamente no complexo. 
 
Confira a nota na íntegra:  
 
O IMIP informa que  vem tomando uma série de medidas de proteção aos usuários nos últimos anos. 

São elas:
1) Instalação de câmeras nos principais pontos do hospital. 
2) Ampliação no contingente de porteiros; 
3) Aumento da iluminação interna;
4) Das seis entradas de acesso ao hospital, foram fechadas quatro vias de pedestres para aumentar o controle. Atualmente, o IMIP tem duas entradas;
5) Exigência da obrigatoriedade da utilização de crachá para melhor identificar o quadro funcional da Instituição; 
6) Utilização de pulseiras de identificação por pacientes e acompanhantes.

O IMIP lembra ainda que circulam diariamente cerca de 20 mil pessoas pelo seu complexo hospitalar.

Recife, 22 de abril de 2019
Assessoria de Imprensa/IMIP
 
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.