Semana Santa Procissão do Senhor Morto leva fiéis para as ruas do Sítio Histórico de Olinda nesta sexta-feira

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 19/04/2019 20:21 Atualizado em: 19/04/2019 21:52

FOTO: Peu Ricardo/DP (FOTO: Peu Ricardo/DP)
FOTO: Peu Ricardo/DP
Em referência à paixão e morte de Jesus, fiéis se reuniram na tarde da sexta-feira (19) na Catedral da Sé, em Olinda, para seguir a tradicional procissão do Senhor Morto. O cortejo, que aconteceu após a cerimônia da Liturgia da Paixão, faz parte do calendário da Igreja Católica, e faz alusão à morte de Jesus Cristo, relembrada pelos cristãos. A procissão tem como objetivo lembrar o momento em que os discípulos retiraram o corpo de Jesus Cristo da cruz e o sepultaram. Os fiéis foram conduzidos pelo arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido.

FOTO: Peu Ricardo/DP (FOTO: Peu Ricardo/DP)
FOTO: Peu Ricardo/DP
São centenas de fiéis que seguem a procissão, seja para agradecer ou fazer preces. A aposentada Maria do Rosário, 69, participa todos os anos da caminhada. Segundo ela, o momento serve para fortalecer a fé e devoção a Cristo. "É mágico. Toda vez que venho, sinto uma energia positiva que mexe com o meu coração. Sou eternamente grata por tudo que Cristo tem feito em minha vida”, conta, emocionada. 

A auxiliar de serviços gerais Amiel de Souza, 32, participou da procissão pela primeira vez. Moradora do bairro de Casa Amarela, na Zona Norte do Recife, ela foi acompanhada do filho mais velho para agradecer o crescimento do pequeno Cauã, que nasceu com microcefalia. Na época, segundo ela, o ex-marido chegou a pedir para que ela fizesse um aborto. “Também não tive apoio da minha família. Todos viraram as costas para mim. Certamente, se não fosse a força divina em minha vida, não aguentaria tudo isso. Cristo é força”, relata Amiel. 

Vestida de branco e com um terço nas mãos, a professora Cicleide Arruda, 45, foi agradecer o livramento que teve após um acidente de carro que sofreu enquanto dirigia para ver a mãe que mora no interior de Pernambuco. Em meio ao relato, ela chora ao lembrar do acontecimento. “Quando bati, senti como se uma mão tivesse me segurado e impedido que eu me machucasse. A frente do meu carro ficou irreconhecível. Impossível aquilo não ter sido uma força divina. Tudo que eu tenho devo a ele (Cristo)”, destaca a professora. 

FOTO: Peu Ricardo/DP (FOTO: Peu Ricardo/DP)
FOTO: Peu Ricardo/DP
No decorrer da Semana Santa, a Sexta-feira da Paixão é o único dia em que não há celebração de missa. O ato divide-se em três partes: o momento da palavra, o beijo da cruz e a comunhão. A procissão percorreu todo o Sítio Histórico. 

Segundo dom Fernando Saburido, a caminhada é uma forma de levar à comunidade os preceitos seguidos pelos cristãos. “É uma celebração significativa, principalmente para externar a nossa gratidão ao Cristo, que morreu por nós”, reforça o arcebispo de Olinda e Recife.  
Programação da Semana Santa 

A programação segue normalmente neste sábado (20). Por conta do rito de silêncio e oração, a liturgia será feita às 20h, no momento em que Dom Fernando Saburido rege a Vigília Pascoal, uma longa celebração que se divide em Liturgia da Palavra, Batismal e Eucarística. No próximo domingo (21), na Catedral da Sé, o arcebispo irá celebrar, às 9h, a Missa de Páscoa.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.