Semana Santa Em missa, arcebispo de Olinda e Recife cobra ações públicas para o Pilar

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 19/04/2019 09:12 Atualizado em: 19/04/2019 10:32

Saburido lembrou ainda o significado da Páscoa e do momento que a antecede. Foto: Leandro De Santana/Esp.DP.
Saburido lembrou ainda o significado da Páscoa e do momento que a antecede. Foto: Leandro De Santana/Esp.DP.
A escolha do Pilar para celebração do Lava-pés presidida por dom Fernando Saburido, arcebispo de Olinda e Recife, não foi por acaso. Na lista dos lugares mais pobres da capital, a comunidade é carente de políticas públicas, tema central da Campanha da Fraternidade deste ano, com um nível acentuado de desemprego, de falta de moradia e tráfico de drogas. Parte dos 12 fiéis escolhidos para o arcebispo lavar os pés, representando os apóstolos de Jesus e em sinal de humildade e servidão, eram moradores da comunidade. A eles, juntaram-se imigrantes venezuelanos.

“Hoje essas pessoas moram em casebres, mas elas precisam viver em uma casa digna. E não só isso. Muitos moradores estão aqui para participar da cerimônia da entrega do peixe. E se fazem isso é porque não recebem um salário digno que possam encher sua casa de comida”, disse dom Fernando. O arcebispo cobrou melhorias para os mais pobres do Pilar e também ações de acolhimento aos imigrantes. De manhã, ao pregar na Missa dos Santos Óleos, ele criticou o descaso com a pobreza, dizendo ser “inadmissível que, em pleno século 21, sejamos obrigados a falar em fome e miséria”. E que a denúncia destes males seria missão da igreja.

Dom Fernando foi incisivo por mais de uma vez, durante a pregação na Missa do Lava-pés, quanto ao papel da Igreja Católica. “Pedimos que as políticas públicas funcionem e de fato tragam melhorias para a vida dessas pessoas que precisam. A eucaristia só tem sentido se for transformada em serviço aos outros. Com o Lava-Pés, somos desafiados a ficar com os olhos bem abertos a quem realmente precisa”, completou. Após a missa, concelebrada por padre Rinaldo Pereira, uma procissão seguiu da capela do Pilar até um barraco, onde durante a noite a comunidade fez vigília para o Santíssimo Sacramento. A paróquia da qual participa a comunidade do Pilar também distribuiu mil quilos de peixe. Para a desempregada Luciene Bezerra da Silva, 55, o peixe veio em boa hora. “A maioria dos moradores do Pilar é desempregada e vive de bico. Ninguém tem dinheiro para comprar peixe”, disse. 

Saburido lembrou ainda o significado da Páscoa e do momento que a antecede. Ele falou sobre a experiência dolorosa do povo hebreu, comparando-a com a história dos imigrantes, e como essa “travessia do deserto” permanece atual. A venezuelana Luciarlys Del Valle, 36, é uma das que saiu de seu país em busca de uma vida mais digna. No Brasil há quatro meses, passou por Boa Vista, em Roraima, e agora no Recife. “Sou católica e nunca havia participado. Me senti acolhida”, disse Luciarlys. 

A Missa do Lava-pés rememora a instituição do sacramento da Eucaristia, quando, na última ceia, Jesus entregou aos discípulos pão e vinho – seu corpo e seu sangue – e diz que o façam em sua memória. Na Catedral da Sé, na Missa dos Santos Óleos, os padres das 140 paróquias da arquidiocese receberam os óleos que serão utilizados nos sacramentos, como o crisma,  e o batismo e a unção dos enfermos. 
 
Programação
 
OLINDA 
Catedral da Sé

Sexta-feira (19)
15h – Celebração da Paixão 
e Procissão do Senhor Morto

Sábado (20)
20h – Vigília Pascal

Domingo
9h – Missa da Ressurreição 

RECIFE
Santuário do Morro da Conceição

Sexta-feira (19)
15h – Celebração da Paixão 

Sábado (20) 
19h – Vigília Pascal

Domingo
7h, 9h, 12h, 18h – Missa da Ressurreição

Matriz de Apipucos

Sexta-feira (19)
15h – Celebração da Paixão 

Sábado (20)
20h – Vigília Pascal

Domingo
19h – Missa da Ressurreição

Matriz da Torre

Sexta-feira (19)
7h – Via-sacra pública
15h – Celebração da Paixão 

Sábado (20)
20h – Vigília Pascal

Domingo
8h30, 17h, 19h – Missa da Ressureição

JABOATÃO
Paróquia de Santo Amaro

Sexta-feira (19)
15h – Celebração da Paixão, na Igreja do Rosário e Procissão do Senhor Morto, 

Sábado
19h – Vigília Pascal, na Igreja do Rosário

Domingo
6h30, 19h – Missa da Ressurreição, no Rosário
8h30 – Missa da Ressurreição, na Matriz de Santo Amaro



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.