Solidariedade Uma campanha para ajudar crianças com doenças do coração

Publicado em: 18/04/2019 14:33 Atualizado em: 18/04/2019 14:38

Foto: divulgação
Foto: divulgação
O espaço vai se chamar Casa do Coração. Ficará no número 203, no bairro de Campo Grande, no Recife. Assim que estiver reformado, ganhará uma inauguração. E receberá crianças de todo o Nordeste com algum tipo de cardiopatia e em situação de vulnerabilidade social. Neste domingo de Páscoa, os idealizadores do projeto lançam uma campanha de financiamento coletivo para ajudar na reforma do imóvel da Rua Nossa Senhora da Glória.

A ONG Círculo do Coração é quem está por trás da iniciativa. Seus integrantes já atuam há 25 anos no diagnóstico, tratamento e acompanhamento de crianças cardiopatas e, se tudo der certo, entregarão essa sede, doada pela cardiologista Sandra Mattos, uma das idealizadoras da iniciativa. Além de ser usado na reforma, o dinheiro arrecadado com a campanha também será aplicado na manutenção da casa.

Quem quiser ajudar, pode fazer doações em dinheiro por meio de depósito na conta da ONG. Os dados são: Caixa Econômica Federal, banco 104, OP 003, c/c 626-5, agência 2348, CNPJ 00286731/0001-45. Outra possibilidade é fazer contribuição pela internet pelo Doare (https://doare.org/br/doacao/5510/circulo-do-coracao-de-pernambuco) ou pelo Pag Seguro: https://www.c-online.med.br/product-category/lojinha-circor/

"Se cada um dos nossos 50 mil amigos do Instagram doar apenas R$ 10,00, conseguiremos, de uma só vez, quitar o projeto da casa e inaugurá-la, como sonhamos, no mês de maio. Para os que quiserem nos ajudar a manter o coração da casa batendo, com apenas R$ 2,00 por mês de cada um dos 50 mil seguidores, poderemos arcar com toda a manutenção e funcionamento", diz um trecho do texto da campanha.

A ONG atua no Recife desde julho de 1994.Foi criada por integrantes da Unidade de Cardiologia e Medicina Fetal (UCMF), instalada no Real Hospital Português (RHP). A ideia surgiu para facilitar o tratamento de crianças pobres com doença cardíaca diante da falta de leitos e afastamento das comunidades rurais dos centros urbanos, onde os especialistas em cardiologia pediátrica estão disponíveis.

A ONG atende na clínica que atua no Hospital Português, de forma voluntária e gratuita. Também costuma fazer maratonas de atendimento gratuito em escolas públicas e já realizou campanhas no interior da Paraíba, ao longo de sete anos. Com a sede, vai atender mais famílias e todos os dias poderá ofertar atendimento ambulatorial gratuito, com exames, consultas, tratamentos e encaminhamentos.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.